quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Confissão de Pecado - O pecador Endurecido



Charles Spurgeon nasceu em 19 de Junho de 1934 na Inglaterra ( deixou o corpo corruptível em 1892 para habitar com o Senhor), converteu-se ao Crisitianismo em 1850, aos 15 anos, aos 16 pregava seu primeiro sermão, em Abril de 1854 pastoreava uma igreja em Londres com 232 membros. Sua dedicação às sagradas escrituras e sua habilidade em expor os textos sagrados fez com lhe atribuíssem o título de " O Príncipe dos Pregadores".
Nessa seção postarei sete partes de um sermão pregado por Spurgeon.O texto leva-nos a meditar no modo que temos nos achegado ao Senhor quando falhamos, são apenas palavras ou apresentamos ao Senhor um coração contrito e quebrantado quando lhe pedimos perdão? Temos abondonado o erro ou apenas colocado uma vírgula em atitudes que nos afastam de nosso Deus?
Com a Palavra, C. H. Spurgeon:


O tema desta manhã será - CONFISSÃO DE PECADO. Nós sabemos que isto é absolutamente necessário à salvação. A menos que haja uma verdadeira e sincera confissão de nossos pecados a Deus, não temos nenhuma promessa que nós acharemos clemência no sangue do Redentor. "Todo aquele que confessar seus pecados e os abandonar achará misericórdia" . Mas não hánenhuma promessa na Bíblia para o homem que não confessar seus pecados . Há muitos que fazem uma confissão, e uma confissão diante de Deus, e não recebem nenhuma bênção, porque a confissão deles não tem certas marcas que são requeridas por Deus, que provariam sua genuinidade e sinceridade e que demonstrariam terem sido fruto do trabalho do Espírito Santo.
Meu texto esta manhã consiste em duas palavras: "eu pequei". E você verá como estas palavras, nos lábios de homens diferentes, indicam sentimentos muito diferentes. Enquanto uma pessoa diz "eu pequei" e recebe perdão, outro diz o mesmo, porém segue seu caminho para se enegrecer com pecados piores que antes e mergulha em profundezas maiores de pecado do que antes ele tinha experimentado.


O Pecador Endurecido.
Faraó: "eu pequei". Êxodo 9:27.


O primeiro caso que eu apresentarei a vocês é o do PECADOR ENDURECIDO que, quando experimenta terror, diz "eu pequei". E você achará o texto no livro de Êxodo 9:27 - "Então Faraó mandou chamar Moisés e Arão, e disse-lhes: Esta vez pequei; o Senhor é justo, mas eu e o meu povo somos a ímpios". Mas porque esta confissão nos lábios deste altivo tirano? Ele não se humilhava perante Jeová. Então porque aquele orgulhoso se curvou? Você julgará o valor da sua confissão quando você ouvir as circunstâncias debaixo das quais foi feita: "E Moisés estendeu a sua vara para o céu, e o Senhor enviou trovões e saraiva, e fogo desceu à terra; e o Senhor fez chover saraiva sobre a terra do Egito. Havia, pois, saraiva misturada com fogo, saraiva tão grave qual nunca houvera em toda a terra do Egito, desde que veio a ser uma nação". Agora, diz Faraó, enquanto o trovão estava rolando no céu, enquanto o fogo então incendiava o solo e enquanto o granizo descia em grande quantidade, ele diz, "eu pequei". Ele é somente um exemplo de multidões da mesma categoria. Quantos rebeldes endurecidos a bordo de navios, quando as madeiras estão deformadas e rangendo, quando o mastro está quebrado e o navio está vagando ao sabor do vento forte, quando as ondas famintas estão abrindo suas bocas para tragar o navio tão rapidamente como aqueles que entram na cova, quantos marinheiros cujos corações se encontram endurecidos pelo pecado, curvam seus joelhos com lágrimas nos olhos, e clamam "eu pequei!". Mas que proveito e que valor tem a confissão deles? O arrependimento que nasceu na tempestade morreu na calmaria; aquele arrependimento criado entre trovões e raios, cessou tão logo tudo foi silenciado e o marinheiro que era piedoso quando a bordo do navio, se tornou um dos piores e mais abomináveis entre os marinheiros quando colocou seu pé em terra firme.
Também, com que freqüência nós vemos isto em uma tempestade com abundância de raios e trovões? Muitos homem empalidecem quando ouvem o trovão ressoando; as lágrimas enchem seus olhos, e eles clamam "Ó Deus, eu pequei!"; enquanto as vigas da sua casa são balançadas e o solo embaixo deles oscila diante da voz de Deus em Sua majestade. Mas ai de tal arrependimento!
Quando o sol novamente brilha e as negras nuvens passam, o pecado vem novamente sobre o homem e ele se torna pior que antes. Quantas confissões do mesmo tipo, nós também vemos em tempos de epidemias fatais! Então nossas igrejas ficam cheias de ouvintes que, por verem tantos enterros passarem por suas portas, ou porque tantos morreram na sua rua, não podem se abster de ir à casa de Deus para confessar seus pecados. E debaixo daquela visitação, quando um, dois e três caem mortos em sua casa, ou na porta ao lado, quantos pensaram que realmente volveriam-se a Deus! Mas, ai! quando a pestilência acaba seu trabalho, a convicção cessa; e quando o sino toca pela última vez por uma morte causada por uma epidemia, então seus corações deixam de bater em penitência e suas lágrimas deixam de fluir.
Tenho alguém aqui assim nesta manhã? Se há tais pessoas aqui esta manhã, me deixe solenemente dizer-lhes: "Senhores, vocês esqueceram os sentimentos que tiveram nas suas horas de angústia; mas, se lembrem, Deus não esqueceu dos votos que vocês fizeram". Marinheiro, você disse se Deus o poupasse para ver a terra novamente, você seria Seu servo; mas você não é; você mentiu a Deus, você Lhe fez uma falsa promessa, porque você nunca manteve o voto que seus lábios fizeram. Você disse, em um leito de doença, que se ele poupasse sua vida você nunca pecaria novamente como antes; mas aqui está você e seus pecados desta semana falarão por mim. Você não é melhor do que você era antes da sua doença. Você poderia mentir para Deus e não ser reprovado? E você pode pensar em mentir para Deus e não ser punido? Não! o voto, por mais precipitadamente que tenha sido feito, é registrado no céu; e apesar de ser um voto que o homem não pode cumprir, contudo, como é um voto que ele próprio fez, e o fez voluntariamente também, ele será castigado pelo não cumprimento dele; e Deus executará vingança afinal, porque ele disse que abandonaria seus caminhos de pecado, porém, quando o infortúnio é removido ele não faz isto. O anjo vingador poderá dizer: "Ó Deus, estes homens disseram que se eles fossem poupados seriam melhores; porém são piores. Como eles violaram suas promessas, e como eles atraíram a ira divina sobre si mesmos!". Este é o primeiro estilo de arrependimento; e é um estilo que eu espero que nenhum de vocês imitem, porque é totalmente sem valor. É inútil você dizer "eu pequei" somente debaixo da influência do terror, e então esquecer disto depois.
* Sermão extraído de Charles Spurgeon: Sermões Devocionais - monergismo.com
Em Cristo,
João Paulo Mendes.
continua....

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

Lei que combate o evangelismo começa a ser aplicada


ARGÉLIA -Várias fontes apontam para uma deterioração na situação dos cristãos na Argélia, particularmente na região de Kabyle, freqüentemente considerada como sendo um lugar onde o evangelismo ocorre. Em dezembro passado, o diretor cristão de uma escola primária de Kabyle foi suspenso pelo Ministério de Educação. Segundo o ministério, “o diretor usou a escola para estimular o evangelismo cristão e não seguiu o currículo escolar”. O Ministro para Assuntos Religiosos, Bouabdallah Ghoulamallah, ficou contente com a decisão. O diretor nega todas as acusações. Em outro incidente, foram levadas cinco pessoas recentemente para a Corte de Tizi-Ouzou, em Kabylie, acusadas de evangelizar. Os eventos realçam a aplicação da lei proselitista (relacionada a locais de adoração e culto) aprovada em setembro de 2006 e que está começando a ser aplicada na Argélia. A lei busca prevenir a conversão de muçulmanos ao cristianismo e exige penas de prisão e multas para qualquer um que "incitar, forçar ou usar meios de sedução com uma visão diferente para converter muçulmanos a outra religião" ou que "faz, vende ou distribui documentos impressos ou materiais visuais auditivos ou qualquer outra mídia que busca arruinar um muçulmano na fé dele”. Muitos temem o fechamento dos lugares não-registrados de culto na Argélia, o que seria contrário à Constituição do país, que garante liberdade de consciência e opinião (artigo 36) como também liberdade de expressão, associação e assembléia (artigo 41).
Texto extraído do site www.gospelmais.com.br

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

Pop está repleto de referências a drogas





"Um levantamento feito por pediatras americanos constatou que a música popular dos Estados Unidos está inundada de letras que fazem referências ao consumo de drogas, álcool e tabaco. De acordo com uma equipe de pediatras da faculdade de medicina da Universidade de Pittsburgh, das 279 canções mais populares no país (as mais tocadas e vendidas, segundo a parada da Billboard) em 2005, 93 – ou um terço – falavam explicitamente do tema. Outras 117 – 42% – tocavam no assunto de alguma forma.
Que a música pop mundial está repleta de referências ao consumo de entorpecentes não é exatamente uma novidade. O que ninguém tinha feito antes era colocá-las no papel. Os doutores descobriram que não só 93 músicas falavam sobre o tema, como dois terços das vezes em que as drogas eram citadas, apareciam como algo positivo, associado a sexo, festas e humor.
Supondo que um adolescente americano, com entre 15 e 18 anos de idade, ouve por volta de duas horas e vinte minutos de música por dia, os médicos calcularam que os jovens escutam 84 citações diárias de uso de drogas. Por ano, são mais de 30.000.
Rap e country – A distribuição das referências ao abuso de substâncias não é igual entre os diferentes gêneros musicais. Nas cações de rap, 77% faziam algum tipo de comentário relacionado a drogas. Em segundo, vieram os cantores de country – 36% de suas músicas citavam entorpecentes, bebida ou cigarro. Canções classificadas como R&B (com 20% de músicas falando de drogas), rock (14%) e pop (9%) completavam a lista."

Fonte: veja online


Talvez esse seja um dos motivos para que adolescentes e jovens educados em um bom ambiente e com uma família equilibrada sejam tragados pelo mundo do vício. A PALAVRA diz que o nosso inimigo, o Diabo, prepra ciladas ," Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo." Ef 6.11.
Os que constataram tais citações e a apologia ao uso de dogras pensam assim : "Sem sugerir qualquer tipo de proibição a estas letras, os pesquisadores reconhecem que o uso destas substâncias permeia a cultura popular há décadas. "Não é desejável censurar estas mensagens", afirmou o líder dos médicos, Brian Primack, à agência de notícias Reuters. "Provavelmente, a forma mais interessante de tratar da questão seja ensinar as crianças a analisar as mensagens por si próprias", concluiu."

Mas a Bíblia já nos afirma que o mundo jaz no maligno, então resta-nos, uma vez mais, ficarmos com a orientção Bíblica de ensinar, a criança no caminho que deve seguir, e ensinar não é apenas apontar mas, acompanhar, corrigir, orientar e usar a autoridade conferida por Deus a pais e líderes, crianças e até adolescentes nem sempre conseguem avaliar os prejuízos que lhes podem ocorrer em decorrência de uma vida entregue ao vício e à promiscuidade pregada pelo mundo.
Mas pais zelosos e uma Igreja atenciosa, com certeza são um instrumentos de Deus para livrá-los de todo mal que tenta tragá-los.


"A vara e a repreensão dão sabedoria, mas a criança entregue a si mesma, envergonha a sua mãe." Pv 22.15

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008

"PAI-NOSSO - SLIDES PARA LIÇÃO 06, DE JOVENS, CPAD, 2º TRIMESTRE DE 2017

Lição 06 Jovens - "Pai-Nosso" - 2º Trimestre de 2017/ Lições Bíblicas CPAD de João Paulo Silva Mendes Lição 06 Jovens...