quinta-feira, 26 de junho de 2008

DIA 24, DIA DE SÃO JOÃO MESMO!!!




Conforme vimos em alguns posts sobre as festas juninas,( ADCA - Blog do Altair Germano e outros) a festa tem origem pagã e teve início provavelmente no século XII na região da França, no vigésimo quarto dia de junho comemora-se o dia de são João, adentrando a igreja católica mais tarde e se tornando um evento rentável e de prática entre todos os católicos.
Mas o que quero escrever hoje, com dois dias de atraso, é que no dia 24 de Junho sempre será dia de São João (Paulo), da minha santa esposa Rachel e de tantos outros santos que receberam a mesma graça que eu pois, foi nesse memorável dia que o Senhor nosso Deus me concedeu o privilégio de ser pai (abaixo a foto da santa Rebeca).A Palavra de Deus nos ensina que os filhos são herança dos pais e eu louvo a Deus por ter alcançado esse favor do Senhor. Ao contrário do altíssimo custo que se tem para canonizar um "santo" segundo os costumes da Igreja Católica, eu - e todos que aceitam o Evangelho e se esforçam para vive-lo ( Rm 1.6,7;15.25)- recebi a Graça de ser santo por intermédio de nosso Senhor Jesus, não há comprovação de que tenha feito eu algum milagre e nem desejo que me canonizem mas, certo é que todos dia 24 de Junho será dia de São João Paulo não por causa de seus possíveis milhagres mas sim por causa do favor que recebeu daquele que mesmo sendo Santo despiu-se de Sua santidade para habitar em meio aos pecadores para que, por sua entrega sacrificial em holocausto em favor dos que pecaram e que portanto carecem da glória de Deus, tornando-os participantes de Sua Glória.
Não há santos que mereçam receber louvor como se comemorou no mês corrente através das festa juninas, existem homens que aceitaram o chamado do Senhor e foram por Ele santificados, que estão em processo de santificação para a apresentação perante aquele que nos chamou das trevas para Sua maravilhosa luz, portanto aquele que é santo santifique-se mais e, aqueles que ainda não são podem sê-lo, basta aceitar o chamado do Pai, basta separar-se para o Senhor pois esse é o significado da palavra santo, separados, separados para o Senhor, membros de uma sociedade corrompida mas não corrompidos, viventes de um período que se não tem temor a Deus mas tementes em todo tempo ao Senhor.
Que ao Senhor nosso Deus, o Senhor Jesus, seja a honra a glória e gratidão por essa dádiva vinda do Pai das luzes, o único Santo do qual necessitamos para que possamos imitá-lo sermos santos pois Ele o é.


"Com efeito,nos convinha um sumo sacerdote como este, Santo, inculpável, sem mácula, separado dos pecadores e feito mais alto do que os céus."Hb 7.25


Graças a Deus pelo dia 24, dia de São João Paulo, de Santa Rachel e de Santa Rebeca. Que todos os outros santos se alegrem conosco.


Joao Paulo Mendes.

segunda-feira, 23 de junho de 2008

REMINDO O TEMPO





“Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade. Mas evita os falatórios profanos, porque produzirão maior impiedade”II Tm 2.15,16

No dia 25 de maio o irmão Gutierres, do blog Teologia Pentecostal, fez um post referindo-se ao que os cristãos estariam lendo, com certeza Deus se importa com o que lemos, com a qualidade daquilo que lemos, devíamos ler principalmente a Bíblia, não é esse o caso de maioria dos cristãos, a Palavra do Senhor adverte: "Jesus, porém, respondendo, disse-lhes: ....Errais, não conhecendo as Escrituras, nem o poder de Deus." Mateus 22 : 29. Devemos ler também outras obras relacionadas à Palavra de Deus e seu Reino observando, sempre, a qualidade dessas obras e de seus escritores pois, o mercado evangélico se tornou algo rentável e nem tudo que leva o nome de Deus é inspirado, é divino, por isso a necessidade do exame e a ocupação de nosso tempo com aquilo que é realmente edificante, existem muitas obras de grande seriedade e valor para nosso crescimento espiritual, lembrando que nenhuma obra literária por mais vendida que seja ou renomado seu autor, não deve ser considerada superior à Bíblia Sagrada e nem instituir doutrinas para a conduta do cristão.
Ainda falando sobre o que os cristãos estão lendo (e debatendo), só que na internet ,observando algumas comunidades no orkut e seus principais posts, é fácil constatar que aqueles fóruns que se baseiam em especulações e discussões vãs são os que mais recebem comentários, tópicos que tratam sobre a “eterna” virgindade de Maria, a indagação sobre a predestinação e eleição, questionamentos sobre vestimentas, costumes de denominações, se é ou não pecado ouvir músicas seculares, evolução x criação, pentecostais x cessacionistas e tantos outros assuntos que não levam a lugar algum são comentados numa proporção enorme, geralmente postam pessoas que não tem profundo conhecimento do assunto, mas que se ocupam de perder o tempo com tais questionamentos.
Na maioria dos tópicos criados o objetivo é somente defender uma visão e não buscar a verdade da Palavra de Deus, os cristãos perdem tempo, e muito tempo, em várias comunidades do Orkut e outros fóruns para buscarem consolo para suas visões, as vezes distorcidas da Bíblia sagrada, para espalharem heresias e divisão entre os cristãos. Praticar o amor, aplicar-se à oração e à leitura devocional e sistemática da palavra de Deus tem sido algo que aparentemente não ocupa o tempo desses cristãos.
Há exemplos na palavra de Deus de como o Senhor Jesus ensinou aos discípulos por discutirem coisas inúteis, questionavam quem seria o maior no Reino de Deus, de forma simples o Senhor pôs fim às perguntas dos doze ( Lc 9.46-48), noutra parte da escritura também encontramos um problema criado por religiosos que queriam reter a graça de Deus em seus costumes e leis, eram os judeus que haviam se convertido ao evangelho, pregavam e ensinavam que também era necessário passar pela circuncisão para alcançar a salvação em Cristo, Paulo e Barnabé tiveram problemas acerca do assunto, a visão que tinham era diferente de vários que aceitaram a Jesus no começo da Igreja, foi necessário que subissem à Jerusalém para um concílio, para que reunidos decidissem sobre o tal assunto. É claro que a luta de homens para limitarem a graça de Deus e serem detentores da verdade não é coisa dos últimos tempos.
Deus não nos chamou para sermos Assembleianos, Presbiterianos, Luteranos, Batistas ou qualquer outro nome que se dê a membros de certa comunidade cristã, não nos chamou para defendermos está ou aquela posição ou visão teológica, Deus nos chamou para santidade ("Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver;" I Pe 1:15) , para sermos filhos ("E, se nós somos filhos, somos logo herdeiros também, herdeiros de Deus, e co-herdeiros de Cristo: se é certo que com ele padecemos, para que também com ele sejamos glorificados." Romanos 8 : 17), para obediência ("Não sabeis vós que a quem vos apresentardes por servos para lhe obedecer, sois servos daquele a quem obedeceis, ou do pecado para a morte, ou da obediência para a justiça?" Romanos 6 : 16), para sermos testemunhas ("Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra." Atos 1:8), e quando agimos assim não há dissensão entre nós, entre os salvos não, todos são unânimes e perseveram no mesmo propósito, aliás, a Palavra de Deus revela que no início na igreja cristã, ela crescia pois todos eram unidos, unânimes, ( leia At 2 ) , esse foi o motivo do sucesso da igreja em seus primeiros passos, não é o que vemos hoje em pleno século XXI, divisões teológicas separam denominações e o pior é que separam os cristãos dessas denominações, Paulo conseguia servir a Deus entre os da circuncisão e entre os gentios, diferentes visões teológicas não devem separar os cristãos, a não ser que contenham heresias, do contrário devemos viver unidos no Senhor, ocupando-nos de testemunhar de Seu poder e amor.

Ocupe seu tempo com a obra do Senhor, sendo cristão e não evangélico da denominação x, Jesus não era evangélico, nem Protestante, Jesus era e é amor, vida, paz, preocupe-se em defender isso, viver isso em Cristo, orar mais, meditar na Palavra do Senhor, certamente verá que o Senhor tem algo a fazer através de sua vida.

“E rejeita as questões loucas, e sem instrução, sabendo que produzem contendas. E ao servo do Senhor não convém contender, mas sim, ser manso para com todos, apto para ensinar, sofredor; Instruindo com mansidão os que resistem, a ver se porventura Deus lhes dará arrependimento para conhecerem a verdade.” II Tm 2.23-26


Em Cristo,



Joao Paulo

terça-feira, 17 de junho de 2008

CULTUE CONOSCO


Toda 3ª E 5ª Feira as 19:30 e domingo 9:00 E 19:30 você poderá assistir aos cultos da Assmbléia de Deus Central em Araguari através do site http://www.adca.org.br/ .
Se em algum desses dias não puder comparecer a uma igreja evangélica em sua cidade acesse nosso site, louve a Deus conosco e seja edificado por Sua Palavra.

Em Cristo,

Joao Paulo

segunda-feira, 16 de junho de 2008

SEJA PRÓSPERO.




Atualmente fala-se muito em ser próspero, os meios de comunicação oferecem ofertas e mais ofertas de todos dos tipos de produtos, a mídia também mostra um estilo de vida, através de novelas e outros programas, que depende de muito dinheiro para ser sustentado. Sendo afetada por essa visão e essa influência, a sociedade busca incessantemente alcançar tudo aquilo que deseja, se esforça para comprar veículos, imóveis, roupas de grife, aparelhos eletrônicos e outros. Essa pregação que ataca-nos diariamente, faz com que o nosso desejo em comprar, em obter, seja a cada dia mais e mais desenvolvido, até no meio cristão essa filosofia e visão de mundo tem adentrado, são “ministros” que pregam, distorcendo a Palavra, um evangelho que preza o ter em lugar do ser.É claro que não há como o cristão não ser afetado por toda essa publicidade da pós- modernidade, por toda essa influência do meio em que vivemos mas, devemos observar o que a Palavra nos diz acerca de nos conformarmos com o presente século : "E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus." (Romanos 12 : 2)
Um movimento que adentrou o meio cristão há algum tempo tem se fortalecido nos dias atuais, é o evangelho da confissão positiva, essa doutrina é assim definida por Paulo Romeiro:

Conhecido popularmente como a "teologia da prosperidade", esta corrente doutrinária ensina que qualquer sofrimento do cristão indica falta de fé. Assim, a marca do cristão cheio de fé e bem-sucedido é a plena saúde física, emocional e espiritual, além da prosperidade material. Pobreza e doença são resultados visíveis do fracasso do cristão que vive em pecado ou que possui fé insuficiente.
Outros ensinos pouco ortodoxos caracterizam a confissão positiva, conhecida também como "evangelho da saúde e da prosperidade'', ' 'palavra da fé'' ou ainda como "movimento da fé". Seus líderes apregoam que os humanos possuem a natureza divina, que consultar médicos ou tomar remédios é pouco recomendável para o cristão, que Jesus foi milionário e que a soberania de Deus é limitada pela vontade humana.
Esse movimento que teve como expoente expoente mais notável o Pr Kenneth Hagin, que divulgou esse “evangelho” durante anos e que, como vários pregadores desse segmento, distorcia algumas passagens da Escritura para fundamentar seus ensinamentos.
Abaixo, alguns exemplos de como usavam a Palavra em seu favor:
João 19 nos diz que Jesus usava roupas de griffe... A túnica era sem costura, tecida de cima até embaixo. Era o tipo de vestimenta que os reis e os mercadores ricos usavam (John Avanzini, gravado em 20.1.1991, no programa de Kenneth Copeland).
Não ore mais por dinheiro... Exija tudo o que precisar (Kenneth Hagin citando Jesus, How God Taught Me about Prosperity, p. 17).

Jesus disse: "Tenho dito ao meu povo que ele pode ter o que diz, mas meu povo está dizendo o que tem" (Charles Capps, God's Creative Power Will Work for You, p. 26).
Deus quer que seus filhos usem a melhor roupa. Ele quer que eles dirijam os melhores carros e quer que eles tenham o melhor de tudo... simplesmente exija o que você precisa (Kenneth Hagin, New Thresholds of Faith, 1985, p. 55).

... Esta Bíblia é um livro de prosperidade!... A única vez em que as pessoas foram pobres na Bíblia foi quando elas estiveram sob uma maldição. E a única razão de terem estado sob maldição é porque não ouviram e não fizeram o que Deus lhes dissera que fizessem (Robert Tilton, gravado em 27.12.1990).

A Palavra de Deus jamais tratou os pobres com desdém, como se fossem amaldiçoados. Ao contrário, a preocupação de Deus para com o pobre é clara em toda a Escritura: "Pois nunca deixará de haver pobres na terra: por isso eu te ordeno: Livremente abrirás a tua mão para o teu irmão, para o necessitado, para o pobre na terra" (Deuteronômio 15:11). Isso foi endossado pelo Senhor Jesus, ao afirmar: "Porque os pobres sempre os tendes convosco e, quando quiserdes, podeis fazer-lhes bem" (Marcos 14:7); e por Paulo também: "Ou menosprezais a igreja de Deus, e envergonhais os que nada têm? Que vos direi? Louvar-vos-ei? Nisto certamente não vos louvo" (1 Coríntios 11:22). "recomendando-nos somente que nos lembrássemos dos pobres, o que também me esforcei por fazer" (Gálatas 2:10).
Quando Jesus foi apresentado no templo, seus pais levaram ao sacerdote a oferta do pobre: "e para oferecer um sacrifício, segundo o que está escrito na referida lei: Um par de rolas ou dois pombinhos" (Lucas 2:24, de acordo com Levítico 12:8). A situação financeira de José e Maria não indica, de modo nenhum, que estivessem sob algum tipo de maldição.
Certa vez, perguntado se era lícito pagar tributo a César, Jesus respondeu: "Por que me experimentais? Trazei-me um denário, para que eu o veja" (Marcos 12:14-16). Foi necessário que alguém lhe trouxesse uma moeda para que Jesus pudesse vê-la, o que indica que o Mestre não tinha consigo uma moeda. Ele mesmo afirmou numa outra ocasião não ter onde reclinar a cabeça (Lucas 9:58).
Nós desejamos sim ser prósperos, mas o desejamos segundo o que Deus tem para nós, a Palavra do Senhor nos ensina como podemos ter uma vida próspera, basta-nos observar o mandamento do Senhor e obedecê-lo.
Ao meditar no primeiro salmo da Bíblia, vemos um versículo muito agradável de ser citado: (v 3) " Pois será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual dá o seu fruto no seu tempo; as suas folhas não cairão, e tudo quanto fizer prosperará."
Mas afinal, quem será assim?Todos quantos lêem o texto e o decoram?Todos os cristãos? Leiamos os primeiros versos do salmo:
" Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes tem o seu prazer na lei do senhor, e na sua lei medita de dia e de noite"
Os versos um e dois estabelecem uma condição para que seja cumprida a promessa do verso três,são quatro pontos em destaque:
1) não andar segundo o conselho dos ímpios;
2) não se deter no caminho dos pecadores;
3) nem se assentar na roda dos escarnecedores;
4) meditar na palavra do Senhor dia e noite.
A passagem bíblica nos mostra como o Senhor abençoa os que se portam de maneira digna de um servo fiel, o problema é a nossa conduta diante dEle, aqueles que pregam prosperidade em vez de santidade não levam em consideração versículos como os dois primeiros do salmo, dizem que o Senhor dá, dá e dá, dizem que ele tem obrigação de fazer,impõem condições ao Criador e lhe dirigem palavras como se Ele fosse o servo, o criado.
Separação do mundo - as ações apontadas pelo salmo no verso segundo ( não andar,não se deter, não se assentar), devem ser atitudes normais dos crentes em Jesus, são os ímpios que andam desesperadamente em busca das riquezas dessa terra, e o fim deles não é agradável segundo os últimos versos do salmo ,mas quem anda buscando a face do Senhor e meditando nas Sagradas Letras não está com o coração arraigado em coisas materiais.
A prosperidade na vida do servo do Senhor não é algo que ele busque desenfreadamente, antes busca o Reio de Deus, e tudo mais quanto for necessário para nossa sobrevivência Ele nos acrescenta ( Mt 6.31-34 ) .
A verdadeira vida próspera que Deus tem para nós não é milhares e milhares de dólares e bens materiais incontáveis, e sim uma conduta digna de servo, que se submete às ordenanças de seu Senhor, que está pronto para sofrer afrontas por ELE (" Porque vos foi dada a graça de padecerdes por Cristo e não somente de crerdes nEle" Fp 1.29 ), que se interessa em viver em sua inteira dependência, esperando nEle e ensinando acerca de sua Palavra. Com uma vida íntegra e trabalho honesto Ele pode sim, nos abençoar e nos acrescentar bênçãos em todas as áreas de nossa vida. O servo do Senhor é como a árvore, tem raízes e é plantado em bom solo, já os ímpios o vento lhes sopra e os leva pois são como palha, secos e sem raiz alguma (vv 3,4).
Meditemos na Palavra dEle com temor e desejo de entender tudo quanto nosso Deus quer de nós, filhos dependentes de seu favor.
Salmo 1
"Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores.
Antes tem o seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite.
Pois será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual dá o seu fruto no seu tempo; as suas folhas não cairão, e tudo quanto fizer prosperará.
Não são assim os ímpios; mas são como a moinha que o vento espalha.
Por isso os ímpios não subsistirão no juízo, nem os pecadores na congregação dos justos. Porque o Senhor conhece o caminho dos justos; porém o caminho dos ímpios perecerá"
Vivamos o verdadeiro evangelho proposto pela Palavra do Senhor e não um $negócio$ rentável (principalmente para seus propagadores) que tem sido proclamado por supostos ministros de Deus ( Mt 6.19-21).
Bibliografia - SUPER CRENTES - Paulo Romeiro - Mundo Cristão.
em Cristo
Joao Paulo Mendes

sexta-feira, 13 de junho de 2008

REFLITA

" Parece-me hoje que não há uma boa razão para uma pessoa inteligente abraçar a ilusão do ateísmo ou do agnosticismo e cometer os mesmos erros intelectuais que eu cometi. Eu gostaria(...) de ter conhecido então o que conheço agora: Jesus".

Patrick Glynn, ateu que se tornou cristão.

Bom final de semana,

João Paulo.

quinta-feira, 12 de junho de 2008

10 OBSERVAÇÕES PARA UM NAMORO SAUDÁVEL.


1. Não namore por lazer
2. Não se prenda em um jugo desigual (2 Coríntios 6.14-18): iniciar um namoro com alguém que não tem temor a Deus e não é uma nova criatura pode resultar em um casamento equivocado. E atenção: mesmo pessoas que freqüentam igrejas evangélicas podem não ser verdadeiros convertidos ou não levarem o relacionamento com Deus a sério.
3. Imponha limites no relacionamento.
4. Diga não ao sexo: Deus criou o sexo para ser praticado entre duas pessoas que se amam e têm entre si um compromisso permanente. É uma bênção para ser desfrutada plenamente dentro do casamento; fora dele é impureza.
5. Mantenha a dignidade e o respeito6. Pratique a fidelidade.
7. Assuma publicamente seu relacionamento: uma pessoa madura e coerente com a vontade de Deus não precisa e nem deve lutar contra seus sentimentos ou escondê-los.
8. Promova o diálogo e a comunicação.
9. Cultive o romantismo.
10. Forme um "triângulo amoroso": namoro realmente cristão só é bom a três: o Casal e Deus. Ele deve ser o centro e o objetivo do namoro.
Feliz dia dos namorados, pense: Deus nos orienta em todas as coisas, inclusive em nossa vida sentimental, coloque diante dEle suas ansiedades e seus desejos ,pois cuida de nós.
"Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças" Fp 4.6
Texto extraído de www.adca.org.br
Em Cristo,
Joao Paulo

segunda-feira, 9 de junho de 2008

AGOSTINHO RESPONDE.


Agostinho cresceu no norte da África colonizado por Roma, educado em Cartago. Foi professor de retórica em Milão em 383. Seguiu o Maniqueísmo nos seus dias de estudante e se converteu ao cristianismo pela pregação de Ambrósio de Milão. Foi batizado na Páscoa de 387 e retornou ao norte da África, estabelecendo em Tagaste uma fundação monástica junto com alguns amigos. Em 391 foi ordenado sacerdote em Hipona. Tornou-se um pregador famoso (há mais de 350 sermões dele.
Agostinho, no texto a seguir, trás uma resposta àindagação dele e de tantos outros seres humanos: Quem é Deus? Sua argumentação acerca do assunto nos leva à Palavra do Senhor que diz que, a nossa alma anseia pelo Senhor mais do que os guardas pelo romper da aurora e, como as corças suspiram pelas correntes das águas assim também nossa alma tem sede de Deus, do Deus vivo.
Certamente sua alma tem clamado por Deus e Ele está pronto a desvendar-se a você, basta você crer.


Quem é Deus?

O que sei, Senhor, sem sombra de dúvida, é que te amo. Feriste meu coração com tua palavra, e te amei. O céu, a terra e tudo quanto neles existe, de todas as partes me dizem que te ame; nem cessam de repeti-lo a todos os homens, para que não tenham desculpas. Terás compaixão mais profunda de quem já te compadeceste; e usarás de misericórdia com quem já foste misericordioso. De outro modo, o céu e a terra cantariam teus louvores a surdos.
Mas, que amo eu, quando te amo? Não amo a beleza do corpo, nem o esplendor fugaz, nem a claridade da luz, tão cara a estes meus olhos, nem as doces melodias das mais diversas canções, nem a fragrância de flores, de ungüentos e de aromas, nem o maná, nem o mel, nem os membros tão afeitos aos amplexos da carne. Nada disto amo quando amo o meu Deus. E, contudo, amo uma luz, uma voz, um perfume, um alimento, um abraço de meu homem interior, onde brilha para minha alma uma luz sem limites, onde ressoam melodias que o tempo não arrebata, onde exalam perfumes que o vento não dissipa, onde se provam iguarias que o apetite não diminui, onde se sentem abraços que a saciedade não desfaz. Eis o que amo quando amo o meu Deus! Então, o que é Deus? Perguntei à terra, e ela me disse: "Eu não sou Deus". E tudo o que nela existe me respondeu o mesmo. Perguntei ao mar, aos abismos e aos répteis viventes, e eles me responderam: "Não somos teu Deus; busca-o acima de nós". Perguntei aos ventos que sopram; e todo o ar, com seus habitantes, me disse: "Anaxímenes está enganado eu não sou Deus". Perguntei ao céu, ao sol, à luz e às estrelas. "Tampouco somos o Deus a quem procuras"
– me responderam.
Disse então à todas as coisas que meu corpo percebe: "Dizei-me algo de meu Deus, já que não sois Deus; dizei-me alguma coisa dele" – e todas exclamaram em coro: "Ele nos criou" – Minha pergunta era meu olhar, e sua resposta a sua beleza.
Dirigi-me, então, a mim mesmo, e perguntei: "E tu, quem és?" – e respondi: "Um homem".
Para me servirem, tenho um corpo e uma alma: aquele exterior, esta interior. Por qual deles deverei perguntar pelo meu Deus, a quem já havia procurado com o corpo desde a terra até o céu, até onde pude enviar os raios de meu olhar como mensageiros? Melhor, sem dúvida, é a parte interior de mim mesmo. É a ela que dirigem suas respostas todos os mensageiros de meu corpo, como a um presidente ou juiz, respostas do céu, da terra, e de tudo o que existe, e que proclamam: "Não somos Deus" – e ainda – "Ele nos criou". O homem interior conhece essas coisas por meio do homem exterior; mas o homem interior, que é a alma, também conhece essas coisas por meio dos sentidos do corpo.
Interroguei a imensidão do universo acerca de meu Deus, e ele me respondeu: "Não sou eu, mas foi ele quem me criou".
Mas essa beleza não se manifesta a quantos têm sentidos perfeitos? E por que não fala a todos a mesma linguagem?
Os animais, pequenos ou grandes, a vêem; mas não podem interrogá-la, porque não receberam a razão que, como juiz, interprete as mensagens dos sentidos. Os homens, porém, podem interrogá-la, para que as perfeições invisíveis de Deus se manifestem pelas suas obras.
Mas o amor às coisas criadas os escraviza, e assim os torna incapazes de julgá-las. Ora, elas só respondem aos que podem julgar-lhes as respostas. Elas não mudam sua linguagem, isto é, sua beleza, quando um só as vê, e outro as interroga; elas não lhes aparecem diferentes mas, para uns ficam mudas, enquanto falam a outros. Ou melhor: eles falam a todos, mas apenas se entendem os que comparam sua expressão exterior com a verdade interior. De fato a verdade me diz: "Teu Deus não é nem o céu, nem a terra, nem corpo algum. A natureza das coisas o diz para quem sabe ver; a matéria é menor em seus elementos que em seu todo. Por isso, minha alma, digo-te que és superior ao corpo, pois vivificas sua matéria, dando-lhe vida, como nenhum corpo pode dar a outro corpo. Mas teu Deus é também para ti a vida de tua vida.


Extraído de: Confissões-Agostinho de Hipona


Em Cristo,

Joao Paulo

terça-feira, 3 de junho de 2008

ONDE ESTÃO OS FRUTOS ?

O capítulo 21 do Evangelho de Mateus descreve, em seus primeiros versículos, a entrada triunfal do Mestre Jesus, em Jerusalém, o Mestre é ovacionado, exaltado e adorado por centenas de pessoas, a multidão grita hosana, talvez alguns choraram e outros em seu espírito se alegravam em pensar que o Cristo os libertaria da jugo romano, certamente estava se cumprindo a profecia acerca daquele que viria, o Messias, ungido de Deus mas, não da forma que os judeus esperavam.
Após entrar em Jerusalém, o Senhor se depara no templo, com algo que lhe incomoda e ele imediatamente põe-se a agir de forma talvez inesperada, o Senhor vira ali cambistas, e tantos outros vendedores e compradores, Jesus então, derrubas as mesas dos comerciantes, os expulsa do templo e diz: "Está escrito: A minha casa será chamada casa de oração; mas vós a tendes convertido em covil de ladrões" (v 13 ). Após colocar em ordem a Casa do Senhor, Jesus opera milagres, cura ali cegos e coxos. Os escribas e fariseus, vendo o que havia feito e as criancinhas que gritavam hosana ao Filho de Davi, indignaram-se.
Jesus sai de Jerusalém e se dirige a Betânia onde passa a noite. Ao amanhecer, o Mestre volta para Jerusalém, no caminho teve fome e, vendo uma figueira, aproxima-se dela para colher algum fruto, não encontrou nada além de folhas, certamente procurou, procurou e somente folhas foram encontradas, então, o Senhor Jesus a amaldiçoa: "Nunca mais nasça fruto de ti! E a figueira secou imediatamente" ( v 19).
A Palavra do Senhor nos ensina algo notável nesse trecho, sabemos que aqueles que gritavam hosana quando o Mestre entrou em Jerusalém, foram também os que gritavam crucifica-o diante de Pilatos quando optaram pela soltura de Barrabás, os que estavam no templo usavam o nome de Deus e a casa de Deus em nome do dinheiro, faziam comércio no lugar destinado a adoração do nome de Deus, os doutores da Lei ao verem os milagres de Jesus e as criancinhas o adorando, simplesmente inquiriram a Jesus, pensavam que os pequeninos falavam de algo que não sabiam, mas não era assim, eles entoavam o perfeito louvor ( v 16 ).
Há algo em comum com esses três grupos de pessoas, aqueles que recepcionavam Jesus não o tinham como Senhor mas o tinham como alguém que lhes supriria a vontade de serem libertos de Roma, por isso o exaltavam, os do templo usavam o nome de Deus para enriquecer-se, lucravam muito às custas do nome de Deus, e os escribas e os sacerdotes, aqueles que examinavam a Lei e deveriam reconhecer que Jesus era o Cristo, queriam repreender os que louvavam ao Senhor. Quando Jesus amaldiçoa a figueira cheia de folhas, podemos concluir que era a mesma situação de Israel, cantavam em nome de Deus, vendiam em seu nome, pregavam e ensinavam mas, tudo era aparência, folhas, muitas folhas.
A história daquele povo nos ensina que na figueira as folhas precediam o fruto, então, se havia folhas, obrigatoriamente deveria haver frutos, e quantos hoje ostentam folhas belas, uma aparência ilusionista de homens de Deus e de piedosos servos. A Palavra do Senhor nos ensina que devemos apresentar bons frutos ( Lc 3:8 ), quem não dá bons frutos tem um triste fim: "E também já está posto o machado à raiz das árvores; toda a árvore, pois, que não dá bom fruto, corta-se e lança-se no fogo." (Lc 3:9).
As palavras de Jesus à figueira fala-nos ainda hoje de forma extraordinária. Onde estão nossos frutos? O que temos para apresentar ao Senhor? Será somente uma bela folhagem, bonita aparência? Os homens nos vêem de longe, Deus chega bem próximo, consegue fazer separação entre juntas e medulas, sua palavra é apta para chegar a divisão da alma e do espírito, ele remove as folhas, olha por detrás delas e procura frutos, isso é o que lhe interessa, aos que não tem frutos, ou os tem e são de má qualidade, mas são belos exteriormente, o Senhor tem uma palavra, uma sentença: "Então dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos;" (Mt 25:41)
Porque ele é a videira e devemos estar nEle, devemos produzir frutos, e bons frutos.


"Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer." (João 15 : 5)


Em Cristo,


João Paulo

"PAI-NOSSO - SLIDES PARA LIÇÃO 06, DE JOVENS, CPAD, 2º TRIMESTRE DE 2017

Lição 06 Jovens - "Pai-Nosso" - 2º Trimestre de 2017/ Lições Bíblicas CPAD de João Paulo Silva Mendes Lição 06 Jovens...