terça-feira, 30 de abril de 2013

"PARA O ATOR MARCOS OLIVEIRA, BANCADA RELIGIOSA NO CONGRESSO AMEAÇA HUMOR"



Esta é a frase que anuncia a breve entrevista com o ator Marcos Oliveira (o Beiçola da Grande Família-fonte da imagem Terra.com.br ), na verdade um talk show no site yahoo, aqui.

Dentre suas declarações, a frase abaixo chama atenção:

" Eu acho que vai ter uma época, que nós humoristas não vamos ter mais espaço, porque o clã, da igreja, tá tomando tanto força dentro do congresso, que a gente vai tudo pra gilhotina, eles não têm humor...você imagina o que pode fazer de piada dentro da religião, quase nada"

Nunca se fez tanta piada e zombaria contra os religiosos como nos dias de hoje, e ninguém propôs a morte para os "humoristas".

Não entendo o propósito de se fazer piada sobre religiões, parece que não foram criadas para isso.

Ora, para o site de notícias a bancada religiosa ameaça o humor. E desde quando a ameça ao dito humor é padrão para medir uma bancada, nesse caso religiosa, no Congresso Nacional?

Poderíamos dizer que a bancada não religiosa, ou anti, ameaça a religiosidade no Brasil. E daí? O Congresso Nacional não funciona regulando composição ou força de bancadas que possam ameçar isso ou aquilo. Outro ponto é que, se as bancadas religiosas se fortificarem é em virtude dos votos que receberam para os parlamentares estarem lá, correto? E se é assim, é democrático, legal, vontade popular.


Noutras palavras, se a bancada religiosa cresce e se, porventura, um dia, vier a ameaçar o humor ( e nesse pacote devem estar incluídas todas as faces do dito humor, desde o negro até as mais baixas apelações pornográficas atuais),  então deverão desconfiar que é o povo brasileiro que já não se agrada mais e, caso ocorra no futuro, façam um humor descente ou pendurem as chuteiras.




sexta-feira, 26 de abril de 2013

POR QUE DEUS TIROU ISRAEL DO EGITO.

POR QUE DEUS NOS TIROU DO EGITO?
Ex. 5.1,3; 8.1; 10.26

INTRODUÇÃO

O povo de Deus, Israel, estava preso no Egito e o Senhor prometera livrá-los do cativeiro, contudo, havia um propósito na retirada do povo do Egito: que Israel servisse ao eterno.
Naqueles dias, povo do Senhor eram os descendentes de Jacó; hoje, povo do Senhor são aqueles que creram, que receberam a Jesus como salvador, de acordo com Jo 1.12. E quando o Senhor alcança alguém com sua salvação também o faz com propósito: para que o sirvamos.   

1.      COMO O SENHOR TIRA ISRAEL DO EGITO

Através de feitos milagrosos Deus tirou os filhos de Jacó do Egito. O fato que marcou a saída, a última praga, foi coroado com um ritual dado por Deus para que os judeus obedecessem: deveriam imolar o cordeiro e passar o sangue do mesmo nos umbrais das portas.

A páscoa – “passar por cima, poupar, proteger - deveria ser lembrada como memorial, assim como a ceia do Senhor o é para nós (ICo 11. 25), motivo de alegria, gozo, lágrimas e derramar na presença daquele que nos tirou das trevas e da escravidão. O livramento é eterno, não é temporário, nunca mais voltariam ao Egito. Se nos mantivermos fiéis ao Senhor nunca mais estaremos sob a servidão do pecado, pelo contrário, estaremos livres de uma vez por todas quando no céu com o Eterno.

ü  O cordeiro deveria ser assado, representando o fogo a aflição do Calvário .
ü  O cordeiro deveria ser separado quatro dias antes, assim como Cristo 
entrou em Jerusalém no dia da separação do Cordeiro e morreu no dia do 
sacrifício (Ex 12.3-6);
ü   Nenhum de seus ossos deveria ser quebrado (Ex. 12.46);
ü  O cordeiro deveria ser comido por toda família; Cristo é para toda tua casa,
deve ser colocado à mesa pelo chefe da família e dele todos devem participar (Ex. 12.3). O ensinamento pascal deveria ser passado para os descendentes (Ex 12.27), exclusivamente por cada pai, cada família em suas casa,s com seus filhos (Ex 12.46)

O sangue do Cordeiro faz distinção entre os que servem e os que não servem ao Senhor. No Egito o sangue nos umbrais das portas fora benção para muitos e maldição para outros. No juízo, o sangue de Cristo será motivo de glória para aqueles que o receberam, mas juízo para os que o negaram. A saída do Egito deveria ser comemorada de geração em geração (Ex 12.42).

2.      POR QUE DEUS TIROU O POVO DO EGITO?

2.1  Para que o povo o servisse (4.23)

Servo:1) empregado (Mt 25.14); 2) escravo (Gn 9.25); 3) Pessoa que presta a culto e obedece a Deus (Dn 3.26); JESUS CRISTO era servo (Mt 12.18; At 3.13; 4.27).

Dentre muitos, na passagem abaixo é rico o exemplo de "pessoa que presta culto e obedece a Deus":
“Então chegando-se Nabucodonosor à porta da fornalha de fogo ardente, falou, dizendo: Sadraque, Mesaque e Abednego, servos do Deus Altíssimo, saí e vinde! Então Sadraque, Mesaque e Abednego saíram do meio do fogo” (Dn 3.26).

Servo é o escravo de orelha furada que renunciou sua liberdade para servir a Deus. Assim somos nós? Renunciamos nossa carne por amor ao nosso Senhor?

 Não será assim entre vós; mas todo aquele que quiser entre vós fazer-se grande seja vosso serviçal; E, qualquer que entre vós quiser ser o primeiro, seja vosso servo;Bem como o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir, e para dar a sua vida em resgate de muitos.(Mt 20.26-28)

Quando Deus mandou Moisés, o enviou com uma mensagem, e era esta: “deixa ir o meu povo para que me sirva”. Havia um propósito na retirada do povo; deveriam servir ao Deus eterno. Não foram tirados do Egito para simplesmente não serem mais escravos, mas para serem, agora, servos somente do Deus altíssimo.

Antes, éramos servos do pecado: “ Não sabeis vós que a quem vos apresentardes por servos para lhe obedecer, sois servos daquele a quem obedeceis, ou do pecado para a morte, ou da obediência para a justiça?  Mas graças a Deus que, tendo sido servos do pecado, obedecestes de coração à forma de doutrina a que fostes entregues. E, libertados do pecado, fostes feitos servos da justiça” (Rm 6.16-18).

Porque, persuado eu agora a homens ou a Deus? ou procuro agradar a homens? Se estivesse ainda agradando aos homens, não seria servo de Cristo. (Gl 6.10)


“Assim também vós, quando fizerdes tudo o que vos for mandado, dizei: Somos servos inúteis, porque fizemos somente o que devíamos fazer.”  (Lucas 17 : 10).

Somos servos mesmo?

2.2  Para celebrar uma festa no deserto (5.1)

Disse o salmista: “servi ao Senhor com alegria, apresentai-vos diante dele com cânticos”.

Deserto: representa provação.

"Não é o discípulo mais do que o mestre, nem o servo mais do que o seu senhor."  (Mateus 10 : 24). Cristo padeceu, será que não passaremos pelo deserto?

Todos os anos celebrariam a festa da Páscoa; também todo primogênito seria do Senhor, como referência à saída do Egito.

 Está claro no texto bíblico que o povo deveria celebrar uma festa no deserto. Com a suficiência de Deus em nossa vida, até no deserto podemos celebrá-lo. Nos lugares mais secos e duros podemos celebrá-lo, pois ainda lá Ele é Senhor. Ainda que no deserto, estamos certos de que estamos na caminhada para a Terra Prometida.

Deus nunca deixou seu povo só no deserto: “Nunca se apartou do povo a coluna de nuvem durante o dia, nem a coluna de fogo durante a noite”(Ex 13.22).

Deus sempre sustentou o povo no Deserto, livrou-os de Faraó; deu-lhes água doce em Mara; maná do céu; cordonizes para comerem e vitórias sobrenaturais... Até mesmo na dura caminhada devemos celebrar a nossa libertação do pecado.


2.3  Para o servirmos com tudo o que temos (10.26)

Todos os pertences dos judeus deveriam sair do Egito, pois seriam usados para adorar a Deus.

Devemos servir ao Senhor com nossos bens, com nossa profissão... Devemos amá-lo de todo nosso coração, de toda nossa alma, de todo nosso entendimento, de toda nossa força (Mc. 12.30).


2.4  Para perseverarmos

Perseverança: permanência num estado ou numa atividade, meso em caso de
oposição ou fracasso ( Ef 6.18; Mc 3.13; Rm 2.7).

“E sereis odiados por todos por amor do meu nome; mas quem perseverar até ao fim, esse será salvo” ( Mc 13.13).

Seguir pelo deserto exigia determinação e perseverança do povo.

Veja exemplo de Hiroo Honoda;  este lutava por algo passageiro, glória terrena, fidelidade à bandeira japonesa (foi decepcionado), nós lutamos pelo triunfo eterno.

Você está perseverando pelo que?

O exemplo de Martin Loyd Diones. Este abriu mão de uma carreira promissora para se dedicar ao pastorado.

Você está abrindo mão de que?

Cristo abriu mão do céu, da glória eterna, de Sua realeza para ser massacrado por uma dívida que não era sua.


3.      O FIM DA PEREGRINAÇÃO É O CÉU

Apesar de parecer dura a caminhada, Ele está conosco todos os dias até a consumação do século;

Apesar de o calor do deserto ser forte, Ele nos refrigera a alma e nos leva para junto das águas de descanso;

Apesar de a noite ser fria demais, Ele te cobrirá com Suas penas e debaixo de Suas asas estarás seguro;

 Apesar de às vezes nos vermos sem a provisão necessária, bem nenhum falta aos que O temem; se Ele cuida da erva do campo cuidará de nós; todo que nos é necessário será acrescentado se O buscarmos em primeiro lugar.

NOSSA LEVE E MOMENTÂNEA TRIBULAÇÃO PRODUZ PESO ETERNO DE GLÓRIA.

O fim da peregrinação é Canaã, terra maravilhosa, separada para os que temem ao Senhor, para chegar até lá temos que caminhar firmemente, mas temos em todo tempo auxílio não do homem, mas do Senhor.

4. CONCLUSÃO


Só podemos ser servos se obedecermos a condição por Deus imposta para tal. Depois de obedecermos temos que estar cientes de que nos chamou para servi-lo, ainda que no deserto celebrando-lhe festa; com tudo o que temos. Temos o Seu auxílio o tempo todo, não nos deixará. O fim de nossa servidão será descanso eterno, em glória, com o Criador.

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Praticando o amor com todos



“Não percam tempo se preocupando se vocês 'amam' o próximo - ajam como se amassem. Vão descobrir que, quando se comportam como se amassem alguém, dali a pouco passarão a amá-lo." C.S. Lewis

A citação de Lewis expressa bem como devemos agir em relação ao nosso próximo em obediência ao segundo mandamento de Cristo contido em Mateus 22.39: “... Amarás o teu próximo como a ti mesmo”.

Lendo o livro “Como Se Tornar Um Líder Servidor - Os Princípios de Liderança de O Monge e o Executivo” de James C. Hunter – no qual ele diz que Jesus Cristo é o maior líder de todos os tempos – encontrei essa citação do gênio literário cristão C.S. Lewis e que me levou a refletir sobre as atitudes das pessoas, principalmente daquelas que se dizem cristãs e estão dentro das igrejas.

Claro que todos somos pecadores e em todo momento erramos, fazendo aquilo que não deveríamos fazer e deixando de fazer o que deveríamos fazer (Romanos 7.19), mas não devemos justificar nossas atitudes errôneas para alívio de consciência. Como no caso do nosso tema, algumas pessoas costumam dizer: “não vou ser legal com fulano porque não gosto de fulano e nem gosto de falsidade, então por que eu seria legal com ele?” É comum as pessoas que tem tais atitudes utilizarem a desculpa da falsidade, como se agirem com amor em relação ao desafeto estariam sendo falsas. Isso não é necessariamente verdade (excluindo aqueles que realmente agem com falsidade, como se gostassem, e por trás proferem palavras venenosas), mesmo que você não se dê bem com uma pessoa, não significa que você não possa ser educado com ela e agir como agiria se a amasse. Com a prática, uma hora ou outra, você realmente passará a gostar da pessoa, não é algo impossível de acontecer, muito pelo contrário, é bastante plausível.

Não dá pra ignorar que dentro das igrejas existem grandes divisões, panelas, grupinhos, pessoas que se dizem irmãos em cristo e que não suportam uns aos outros (Colossenses 3.13). E quem dera se fosse em pouca quantidade... Mas não é. É necessária uma conscientização geral dos crentes atuais para que acabem as brigas e dissenções em nosso meio. Isto inclusive já se tornou empecilho para muitos firmarem seus passos no caminho de Deus, pois viram as brigas e separações no meio daqueles que se autodenominam filhos de Deus.

Procuremos praticar o amor, inclusive com aqueles que ainda não conseguimos amar, abrindo mão de nossas vontades e interesses (1 Coríntios 13.5), alcançando o caminho da virtude e cumprindo o segundo grande mandamento de Jesus Cristo. A prática do amor nos fará amar de verdade. Afinal, se realmente somos seguidores de Cristo, busquemos verdadeiramente cumprir seus preceitos, mesmo que não sejam fáceis. Ninguém disse que seria, na verdade o Mestre disse exatamente o contrário. Você verá e descobrirá que amar não é um sentimento, é uma decisão, caso contrário ele não seria uma ordenança de Deus.

quinta-feira, 11 de abril de 2013

DEUS USA OUTROS PROFETAS NOS DIAS DE ELIAS

Lendo a história do grande profeta de Israel nos dias de Acabe, vemos que Elias foi um homem a quem Deus deu a oportuidade de vivenciar muitos milagres e maravilhas. Apesar de ser um homem como nós, Tiago já nos lembrou isso, o profeta de Tisbe confrontou Acabe, orou para que não chovesse, viu a provisão de Deus através dos corvos, operou o milhagre em Sarepta, confrontou os falsos profetas no monte Carmelo etc.

Elias viveu coisas sobrenaturais, surpreendentes e, no fim  da vida, foi tomado pelo Senhor, e isto o profeta sabia que aconteceria, tanto ele como outros.

Não obstante Deus usar Elias tremendamente, aprouve ao Senhor, estando Elias em plena atividade, usar outros dois profetas.

O primeiro caso está relatado em I Rs 20.13-30, quando um profeta anônimo fala a Acabe, rei de Israel, que o Senhor lhe daria vitória na peleja contra Ben-Hadade.
Onde estava Elias? Que fazia? Era o único profeta que Deus poderia usar?

Outro caso está um pouco à frente, é quando entra em cena o profeta Miacaías, o qual leva a Acabe uma palavra dura da parte do Senhor, sendo inclusive a profecia de que o rei de Israel morreria no campo de batalha. Mais uma vez Deus não usa Elias, mesmo estando em plena atividade.
Onde estava Elias? Que fazia? Ele era o único profeta que Deus poderia usar?


Não há informações sobre o profeta de Tisbe quando ocorreram os dois episódios acima. Contudo, o cenário ensina que Deus não está obrigado a usar, logicamente, um só homem em seus dias. Apesar de Elias ser um tremendo servo de Deus, o Senhor não estava obrigado a usar só o profeta do fogo. Deus usa a quem quiser.

Não há teólogo tão bom ou tão santo que o Senhor esteja limitado a usar somente ele. Alías, os dons através dos quais Deus nos usa pertencem a Ele, só a Ele.

Por fim, é Ele quem usa a quem quiser, da forma que desejar para a edificação da Igreja, Sua noiva. Afinal, muitos são os vasos e o Oleiro sabe o que fazer com cada um.

quarta-feira, 10 de abril de 2013

HOMOSSEXUALISMO NÃO É GENÉTICO.


*Este artigo foi publicado primeiramente no dia 22/01/2009, mas em face dos últimos acontecimentos é pertinente republicar.

Alguém enviou uma pergunta à geneticista Mayana Zatz, colunista da veja.com questionando o seguinte:

"Doutora Mayana, o que a senhora pensa sobre as origens da homossexualidade? Estaria ela realmente associada à genética? A psicologia já sabe que um homossexual não se torna homossexual do nada, bem como não pode deixar de sê-lo. Ele nasce assim e morre assim. Diversos animais também apresentam esse tipo de comportamento. Acompanhando o questionamento, do ponto de vista biológico, seria a homossexualidade uma anomalia? Ou seria uma forma de controlar a procriação de uma espécie?"

Algumas observações quanto à pergunta: "A psicologia já sabe que um homossexual não se torna homossexual do nada, bem como não pode deixar de sê-lo." Eu conheço pessoas que abandonaram o homossexualismo e construíram uma família, voltaram-se à heterossexualidade e vivem bem.

"Ele nasce assim e morre assim." Há vários FATOS que atestam o contrário.


Em alguns trechos de sua resposta Mayana diz o seguinte:

"Embora em minha opinião exista uma predisposição genética para um comportamento homossexual, pesquisas científicas que provem isso na prática são muito difíceis de serem realizadas."

Cientificamente NÃO HÁ NADA que comprove o comportamento homossexual, entende-se que é uma opção da pessoa, levando em consideração a orientação e o meio em que cresceu. Deve-se considerar que é uma opção pois nem todos que crescem em meio ao crime, por exemplo, se tornarão criminosos, da mesma forma os que crescem em meio ao analfabetismo, ao alcoolismo, podem até ter mais chances de ser o que o meio "inspira-os" a ser, mas a decisão cabe ao homem.

"......o fato de que pessoas com comportamento homossexual não procriarem....."
Essa afirmação mostra que o comportamento homossexual leva à oposição de algo que se espera do ser humano: a procriação. Embora haja casais do mesmo sexo que tenham filhos isso não acontece da forma natural, não podem ser pais sem a intervenção de outros recursos.

" Para quem é heterossexual às vezes é difícil entender, mas o fato de observar-se um comportamento semelhante em animais sugere também que existe uma predisposição genética. "

Só lembrando que os animais não são RACIONAIS, não são dotados da mesma capacidade que o ser humano e isso nos faz totalmente diferente deles.


"Reitero que, ainda que eu pessoalmente acredite que possa haver uma influência genética para a homossexualidade, ainda não existe uma comprovação científica. O avanço nas pesquisas e tecnologias poderá talvez elucidar esse enigma no futuro próximo."

Como se vê, no texto de Mayana Zatz, não há uma definição científica para a questão da homossexualismo e, em meio à confusão da ciência, a Bíblia nos dá a resposta para o origem desse comportamento que fere os conceitos bíblicos.

"Porque do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda a impiedade e injustiça dos homens, que detêm a verdade em injustiça.
Porquanto o que de Deus se pode conhecer neles se manifesta, porque Deus lho manifestou.
Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis;
Porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu.
Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos.
E mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis.
Por isso também Deus os entregou às concupiscências de seus corações, à imundícia, para desonrarem seus corpos entre si;
Pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém.
Por isso Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza.E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro.
E, como eles não se importaram de ter conhecimento de Deus, assim Deus os entregou a um sentimento perverso, para fazerem coisas que não convêm;

Estando cheios de toda a iniqüidade, prostituição, malícia, avareza, maldade; cheios de inveja, homicídio, contenda, engano, malignidade;
Sendo murmuradores, detratores, aborrecedores de Deus, injuriadores, soberbos, presunçosos, inventores de males, desobedientes aos pais e às mães;
Néscios, infiéis nos contratos, sem afeição natural, irreconciliáveis, sem misericórdia;
Os quais, conhecendo a justiça de Deus (que são dignos de morte os que tais coisas praticam), não somente as fazem, mas também consentem aos que as fazem." Rm 1.18-32


"Não sabeis que os injustos não hão de herdar o reino de Deus? Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas," (I Coríntios 6 : 9)


Vejam que o texto de Romanos fala da origem do pecado, não só o homossexualismo mas todos os outros desvios praticados pelo homem procedem de sua dureza de coração, de sua vontade em se voltar contra o plano Divino.

É mentira, como alguns gostam de ventilar, dizer que os cristãos são homofóbicos; assim como a Bíblia condena a prática homossexual ela também condena a mentira, idolatria, adultério, roubo, furto e outras coisas, e transgridem a lei Deus todos os que cometem tais atos.

O que é natural no homem, que vem desde o seu nascimento, é a natureza pecaminosa; segundo Romanos 3.23 todos pecaram e carecem da glória de Deus.

Depende do homem escolher o que quer fazer de sua vida porém, descumprindo o propósito para o qual foi criado será recompensado por sua desobediência.

Aos homossexuais fica a mensagem bíblica de João 3.16: " Deus amou o mundo de TAL maneira que deu seu filho unigênito, para que todo aquele que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna", da mesma forma que o TODOS de Rm 3.23 engloba a humanidade o TODO de Jo 3.16 também contempla todo ser humano QUE QUISER , que se dispor a crer e seguir o seu criador. Deus ama a todos e quer que todos sejam salvos ( I Tm 2.4); o cristianismo não tem fobia ao homossexual, apenas condena a sua atitude que confronta com o propósito divino, da mesma forma como todos praticantes do pecado são confrontados.

"Os céus e a terra tomo hoje por testemunhas contra vós, de que te tenho proposto a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe pois a vida, para que vivas, tu e a tua descendência," (Deuteronômio 30 : 19)
"Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei." (Mateus 11 : 28)


Em Cristo,

João Paulo