sábado, 20 de julho de 2013

O COMPORTAMENTO DOS SALVOS EM CRISTO.

O título desta postagem é o mesmo da Lição 03 das Lições Bíblicas deste trimestre. Contudo, não é o objetivo, neste post, comentar sobre toda a lição, mas sobre um ponto específico relacionado a um fato relacionado ao tema dominical: "O Comportamento dos Cidadãos do Céu".

Em uma festividade na igreja em que congrego, há algum tempo, um pregador foi contactado para participar das comemorações. Tudo acertado, "oferta" adiantada, no dia do evento foi informado que o pregador estava enfermo; todos receberam a notícia com pesar.

Diante disso, o pastor local conclamou a igreja a orar pelo pregador que estava hospitalizado; todos oraram.

Chegada a noite da participação do pregador, como estava enfermo não veio; um servo de Deus ministrou a Palava Santa.

Contudo, tal foi a surpresa quando, ao final do culto, um membro que dava manutenção à transmissão do culto pela internet, constatou que o "pastor" faltoso, doente, hospitalizado, estava pregando em uma festividade no Sul do Brasil, em Santa Catarina.

Qual o problema do dito pastor?
- mentiroso?
- enganador?
- falso crente?
- falso obreiro?
- ganancioso?
- avarento?

É um servo de Cristo, da igreja?

Eu, pessoalmente, acho que não deveríamos alimentar esses pregadores que só vão pregar se receberem uma "oferta" X, a qual eles mesmo estipulam; tem de ser feito contrato; deve ser passado parte do valor com antecedência....

Depois de tudo, o faltoso foi acionado judicialmente (sei que em Coríntios fala para não levar um irmão aos tribunais, que deveria ser a questão resolvida entre os santos, que é  melhor sofrer o dano...), mas fato é que foi ajuizada ação contra o pastor doente, que em hora nenhuma, depois do "furo", contou a verdade ou buscou reparar o erro.

Passados muitos meses, até ano, não é possível intimar o pastor doente, pois o oficial não o encontra em seu Estado Maravilhoso. Ah, ele já sabe da ação em seu desfavor (inicialmente foi citado- tomou ciência), mas não consegue ser um cristão diante da sociedade, dos homens, das autoridades, da igreja.

Até que o Senhor separe o joio do trigo, precisamos estar atentos, vigilantes, sóbrios para não sermos enganados  por quem quer que seja , aparente ser piedoso ou não, iluda bem a plateia ou não, mas que na verdade demonstra frutos dignos de rejeição.

O PÚLPITO PENTECOSTAL (2)

Se por um lado há falta de preparo por parte de muitos pregadores sobre os púlpitos (leia aqui ), de outro há uma tendência em achar que ...