quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

O QUE É SANTIDADE?



Brevemente a fim de despertar, ou na mente dos que já atentaram para o tema adequadamente somente prosseguir, fica aqui uma pequena reflexão sobre o tema santidade.

Em 1 Pe 1.16, o apóstolo menciona um trecho da fala do próprio Deus, não de Moisés, proferida em Lv 11.44: “Sede santos, porque eu sou santo.” Esta convocação divina foi dirigida não somente a Israel, mas também aos cristãos, daí a liberdade de Pedro chamar seus ouvintes à santidade (1 Pe 1. 13-15).

Em Levítico, livro mencionado por Pedro, há uma parte identificada por alguns como “Código de Santidade”, que são os capítulos 17-27. Nesta porção, Israel é chamado a adotar a santidade como um estilo diário de vida, não como a observação cega de regras. É possível observar no “Código de Santidade” disciplina para a vida santa: a) na alimentação correta (capítulo 17); b) na pureza sexual (18-20); c) na pureza sacerdotal (21-22); d) nas festas sagradas; e) no lugar santo e o nome santo; nos anos sabáticos e no jubileu (25); f) nos dois caminhos (26) e, g) nos votos religiosos (27). 

Em Lv 19, “A santidade envolve o relacionamento com os pais (v. 3), as crianças (v. 29), Deus (vv. 4-8,26-28,30,31), os pobres e estrangeiros (vv. 9,10,15,33,34), as mulheres (vv. 20-22), o próximo e a parentela (vv. 11-18,35,36), os mais velhos (v. 32), os animais (v. 19), a terra (vv. 19,23-25) e os deficientes (v. 14).” (HAMILTON, Victor. P, Manual do Pentateuco, CPAD, p.333). 

Santidade não é tão só orar constantemente, jejuar ou manifestar os dons espirituais que são mais "cobiçados" por alguns crentes. Santidade é algo necessário, mas difícil de ser perseguido, é a firme resolução de ser cristão em todos os atos da vida, em todas as relações humanas quer na igreja ou fora dela, seja no aspecto familiar, profissional ou eclesiástico. Santidade é um modo de vida, e isto engloba tudo, tudo, tudo.