sexta-feira, 3 de abril de 2009

RESPOSTA AO LEITOR

Sou grato a Deus por cada pessoa que tem frequentado este pequeno espaço na internet e lido os textos aqui publicados.E, depois das férias, volto trazendo uma opinião de um dos frequentadores do blog.
Neste post respondo a uma leitora que expressou sua opinião diante de uma postagem que fala sobre o budismo e a Bíblia:

“Olá JP.

Você não me conhece, mas estava pesquisando sobre a filosofia budista e encontrei um linkk do seu blog.Bom, admiro a sua preocupação em estudar o budismo antes de falar dele. E respeito muito o que vc disse. Afinal alguém importante disse um dia : "Não concordo com uma palavra do que dizes, mas defenderei até o fim o direito de dizer."Nãoq ue eu não esteja concordando com tudo, mas uma encucação me fez escrever esse comentário: porque você chama buda de satanás? Afinal, ele poderia não conhecer Cristo não é verdade? Ele não nasceu antes? A cultura hebraica nem estava presente em seu território, estava?Outra coisa: algumas coisas diferem dos ensinamentos cristãos, mas o fundamental não era o ensino do amor, da paz e do respeito? Sendo assim, a busca pela paz interior não seria uma forma diferente de fazer o que Jesus nos ensinou?Da mesma forma que algumas pessoas passaram a seguir o budismo porque não concordavam com o hinduísmo, algumas não seguem o cristianismo porque preferem o budismo. Somos livres para seguir aquilo que nos leva a encontrar a paz. Se algumas pessoas não encontram isso na Igreja a culpa é nossa, que não as mostramos todo o amor que Nosso Pai tm por elas.Sabe de uma coisa? Eu acredito que Deus é meu Pai, sim. Mas eu o vejo em quase todos os lugares. Ele está na cachoeira da minha cidade, está na flor do meu jardim, está nos olhos da afilhada que acabei de ganhar. Para mim, Ele não é um velhinho de barba grande, mas foi Ele é meu criador.Quando for evangelizar, não menospreze a cultura do outro. Apenas mostre os benefícios da sua e o motivo pelo qual você a segue com tanto fervor. Proporcione à pessoa a possibilidade de sentir o que você sente.
Milady "



Olá Milady,

Fico grato por ter lido a postagem e ter comentado, peço desculpas pela demora em responder, só agora achei o momento adequado para fazê-lo.
Vamos à resposta:

"Não concordo com uma palavra do que dizes, mas defenderei até o fim o direito de dizer."
A frase de Voltaire é inteligente, realmente todos temos o direito de falar o que pensamos, de expressar nossas convicções, resta saber se são verdadeiras ou não.



“Porque você chama buda de satanás?”
Se você verificar bem a frase verá que eu não o fiz, o texto dizia o seguinte: “deram ouvido a esta nova faceta de Satanás”, a frase indica que Buda foi apenas um meio pelo qual se difundiu mais uma crença falsa acerca da natureza humana e da personalidade de Deus. Não sou Deus, mas posso ser um canal usado por ele para levar sua mensagem a outras pessoas, da mesma forma Gautama não era Satanás, mas foi um canal para divulgação de sua mentira. O motivo pelo qual classifico o budismo como mentira é porque ele vai contra a Verdade, a Verdade absoluta da existência de Deus como pessoa, da vida após a morte e impossibilidade de reencarnação e outros.

“Afinal, ele poderia não conhecer Cristo não é verdade? Ele não nasceu antes? A cultura hebraica nem estava presente em seu território, estava?”
È verdade que Gautama nasceu alguns séculos antes de Cristo; mas isso impossibilita que uma pessoa se achegue ao Deus Verdadeiro? Não.

Como era um homem estudioso, certamente, leu a respeito da grandiosidade do Deus dos hebreus, dos acontecimentos que envolviam aquele tão grande povo, com certeza tinha tomado conhecimento dos fatos do Egito envolvendo Israel e outros acontecimentos, é quasecerto que leu sobre a história daquele que povo monoteísta que vivenciou grandes e extraordinários milagres.
Segundo o filósofo Francês Monstesquieu em sua notável obra "O Espírito das leis, o homem está sujeito a leis naturais, acerca do assunto ele deixou registrado o seguinte: “leis da natureza, assim chamadas porque derivam unicamente da constituição de nosso ser”..... “Esta lei que, imprimindo em nós a idéia de um criador, nos leva em sua direção, é a primeira das leis naturais por sua importância...”
Mesmo sem o conhecimento da revelação de Deus aos hebreus, qualquer homem poderia, e pode, ter o conhecimento de Deus e relacionar-se com Ele, nós o fazemos e o conhecemos também através da exposição da Bíblia Sagrada, mas aqueles que a ela não tem acesso, têm dentro de si um impulso natural que nos leva a buscá-Lo, afinal todas as coisas criadas apontam em Sua direção, a perfeição do universo e grandeza das obras por Ele constituídas nos fazem crer em Sua existência e nos impulsionam a nos relacionarmos com Ele.
Monstesquieu ainda afirma que ,“aqueles que afirmaram que uma fatalidade cega produziu todos os efeitos que observamos no mundo proferiram um grande absurdo: pois o que poderia ser mais absurdo do que uma fatalidade cega que teria produzido seres inteligentes? Existe, portanto, uma razão primitiva; e as leis são as relações que se encontram entre ela e os diferentes seres, e as relações destes diferentes seres entre si.Deus possui uma relação com o universo, como criador e como conservador: as leis segundo as quais criou são aquelas segundo as quais conserva. Ele age segundo estas regras porque as conhece; conhece-as porque as fez, e as fez porque elas possuem uma relação com sua sabedoria e sua potência."
Deus se revela na perfeição das coisas criadas, Sua criação é sem igual e a constância da ordem do universo só pode ser sustentada por Ele.

“Porquanto o que de Deus se pode conhecer neles se manifesta, porque Deus lho manifestou. Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis; Porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu. Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos.” (Rm 1.19-22)

“Outra coisa: algumas coisas diferem dos ensinamentos cristãos, mas o fundamental não era o ensino do amor, da paz e do respeito? Sendo assim, a busca pela paz interior não seria uma forma diferente de fazer o que Jesus nos ensinou?”
Não são algumas coisas dos ensinos de Buda que diferem dos ensinamentos de Cristo, são várias. Aqui na postagem que gerou seu comentário, você pode observar tão grandes diferenças.
A principal preocupação nos ensinos de Cristo era o da salvação eterna, todos os outros levam a este, a salvação é o principal objetivo da vinda de Jesus ao mundo. O Budismo não prega a salvação da alma, não prega condenação ou salvação eterna, tira do homem a responsabilidade de se voltar para o Seu Criador e Lhe conhecer como Senhor.
O amor e tudo aquilo que deriva dele só podem ser alcançados se primeiramente a pessoa amar a Deus, não se pode dizer que ama quando não se sabe o que é amor, amor é o que foi manifesto em Cristo Jesus: o sacrifício de uma vida pura em favor de uma humanidade pecadora. Quem daria o filho em lugar de malfeitores? Deus o fez, isto é amor. "Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna." (João 3 : 16)
Só há uma forma de fazer o que Jesus ensinou: seguindo-o. "Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim." (Jo 14 : 6).


Da mesma forma que algumas pessoas passaram a seguir o budismo porque não concordavam com o hinduísmo, algumas não seguem o cristianismo porque preferem o budismo. Somos livres para seguir aquilo que nos leva a encontrar a paz. Se algumas pessoas não encontram isso na Igreja a culpa é nossa, que não as mostramos todo o amor que Nosso Pai tem por elas.”
Sua afirmação está coberta da razão quando diz que somos livres, realmente somos para escolhermos o que quisermos, pessoas optam por esta ou aquela religião, este ou aquele prato de comida, este ou aquele caminho, porém, a liberdade de escolha que temos não implica em dizer que faremos a escolha certa, também não implica que qualquer escolha seja boa, basta analisar racionalmente nosso dia a dia, às vezes tomamos decisões que nos colocam em situações difíceis, escolhemos livremente, mas temos que responder por nossas atitudes.
Em relação ao nosso relacionamento com Deus é mais sério, pode não ter volta quando fazemos uma escolha errada.
Com relação à paz, a verdadeira só pode ser encontrada naquilo que é verdadeiro, só podemos ter paz real quando conhecemos e saciamos o desejo de nossa alma que é o ter intimidade com quem a criou. A paz que Cristo nos dá é a certeza que mesmo em meio às dificuldades da vida, doenças, mortes, guerras, crises e outros Ele está conosco e está no controle, pois é Soberano e pode intervir como quiser e no momento que desejar, quando temos plena certeza que estamos sob suas “asas”, mesmo que tudo à nossa volta esteja desmoronando, temos paz.
Concordo que muitas pessoas são privadas de um conhecimento antecipado de Deus por causa da falha daqueles que buscam servi-Lo, há falhas no viver dos filhos de Deus, em suas atitudes e testemunho diante daqueles que não conhecem o Criador, mas isso não é motivo para a desculpa de que algumas pessoas não tem culpa por não conhecerem a Deus, como respondi noutra pergunta todos são indesculpáveis, falhamos, mas Deus não falha em proporcionar a oportunidade ao homem em conhece-Lo.


“Sabe de uma coisa? Eu acredito que Deus é meu Pai, sim. Mas eu o vejo em quase todos os lugares. Ele está na cachoeira da minha cidade, está na flor do meu jardim, está nos olhos da afilhada que acabei de ganhar. Para mim, Ele não é um velhinho de barba grande, mas foi Ele é meu.”
Eu acredito que você tem grande desejo de relacionar-se com Deus como filha, mas isso não é o suficiente para ser filho de Deus, é necessário fazer da maneira correta, e a Palavra de Deus nos mostra qual é a maneira correta: "Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem." (I Tm 2 : 5),só através do reconhecimento de nossas falhas e aceitação do sacrifício de Jesus e obediência à Palavra de Deus e ao Seu Santo Espírito é que podemos ser filhos de Deus, é a Cristo que devemos adorar, prestar culto e buscar, fora dEle não há verdadeira paz, nem salvação.
“Porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, esses são filhos de Deus. O mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus.
E, se nós somos filhos, somos logo herdeiros também, herdeiros de Deus, e co-herdeiros de Cristo: se é certo que com ele padecemos, para que também com ele sejamos glorificados.”
( Rm 8.14,16,17).
Claro que Deus nunca foi e nunca será um velhinho de barba grande ou coisa assim, Ele é o soberano sustentador do universo, todo poderoso que foi, que é e pra sempre será.
Há um grave problema quando você diz que vê Deus na cachoeira de sua cidade, na flor, nos olhos de sua bela afilhada, o problema é que este pensamento é um conceito panteísta (doutrina que identifica a divindade com o universo), Deus não é tudo, Ele é um ser pessoal que se comunica com o homem, Sua criação é uma forma de proclamar Sua existência e de nos levar a Ele, mas não podemos confundir Deus com o universo, antes de existir o universo Ele já era.

Quando for evangelizar, não menospreze a cultura do outro. Apenas mostre os benefícios da sua e o motivo pelo qual você a segue com tanto fervor. Proporcione à pessoa a possibilidade de sentir o que você sente.”
Minhas palavras não consistiram em ferir a cultura de quem quer que seja, não conheço a sua e não precisei conhecer para expor-lhe a superioridade da mensagem de Cristo. Os maiores benefícios que os filhos de Deus alcançam estão na resposta que, com prazer, escrevi.
O proporcionar às pessoas que leem este blog o que eu sinto não depende só da minha pessoa, tenho a responsabilidade de expor a verdade, agora, quem lê deve fazer sua escolha, Deus nos dá a liberdade de escolher.
No amor de Cristo é que escrevo este post, no ardente desejo que você tenha a certeza de que Deus é pessoal e deseja relacionar-se com você.
Abraço e, escolha a opção correta: Cristo.


"Jesus respondeu, e disse-lhe: Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e meu Pai o amará, e viremos para ele, e faremos nele morada." (Jo 14 : 23)

2 comentários:

  1. É impossível estar com Deus sem estar com Cristo.

    Deus continue abençoando esse blog! E Milady, continue buscando respostas sobre Deus e buscando aproximar-se de Deus.

    "Buscar-me-eis e me achareis quando me buscardes de todo o vosso coração" (Jeremias 29.13)

    Essa é a palavra do Senhor para nós!

    Saudações em Cristo,

    Muriel

    ResponderExcluir
  2. Muri,

    O que tem faltado atualmente é essa busca de coração, muitos querem encontrar a Deus buscando-o de forma superficial e imediatista, temos que nos voltar de coração para Ele, só assim, como você citou, O acharemos.

    Abraço,

    JP

    ResponderExcluir

O PÚLPITO PENTECOSTAL (2)

Se por um lado há falta de preparo por parte de muitos pregadores sobre os púlpitos (leia aqui ), de outro há uma tendência em achar que ...