segunda-feira, 16 de junho de 2008

SEJA PRÓSPERO.




Atualmente fala-se muito em ser próspero, os meios de comunicação oferecem ofertas e mais ofertas de todos dos tipos de produtos, a mídia também mostra um estilo de vida, através de novelas e outros programas, que depende de muito dinheiro para ser sustentado. Sendo afetada por essa visão e essa influência, a sociedade busca incessantemente alcançar tudo aquilo que deseja, se esforça para comprar veículos, imóveis, roupas de grife, aparelhos eletrônicos e outros. Essa pregação que ataca-nos diariamente, faz com que o nosso desejo em comprar, em obter, seja a cada dia mais e mais desenvolvido, até no meio cristão essa filosofia e visão de mundo tem adentrado, são “ministros” que pregam, distorcendo a Palavra, um evangelho que preza o ter em lugar do ser.É claro que não há como o cristão não ser afetado por toda essa publicidade da pós- modernidade, por toda essa influência do meio em que vivemos mas, devemos observar o que a Palavra nos diz acerca de nos conformarmos com o presente século : "E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus." (Romanos 12 : 2)
Um movimento que adentrou o meio cristão há algum tempo tem se fortalecido nos dias atuais, é o evangelho da confissão positiva, essa doutrina é assim definida por Paulo Romeiro:

Conhecido popularmente como a "teologia da prosperidade", esta corrente doutrinária ensina que qualquer sofrimento do cristão indica falta de fé. Assim, a marca do cristão cheio de fé e bem-sucedido é a plena saúde física, emocional e espiritual, além da prosperidade material. Pobreza e doença são resultados visíveis do fracasso do cristão que vive em pecado ou que possui fé insuficiente.
Outros ensinos pouco ortodoxos caracterizam a confissão positiva, conhecida também como "evangelho da saúde e da prosperidade'', ' 'palavra da fé'' ou ainda como "movimento da fé". Seus líderes apregoam que os humanos possuem a natureza divina, que consultar médicos ou tomar remédios é pouco recomendável para o cristão, que Jesus foi milionário e que a soberania de Deus é limitada pela vontade humana.
Esse movimento que teve como expoente expoente mais notável o Pr Kenneth Hagin, que divulgou esse “evangelho” durante anos e que, como vários pregadores desse segmento, distorcia algumas passagens da Escritura para fundamentar seus ensinamentos.
Abaixo, alguns exemplos de como usavam a Palavra em seu favor:
João 19 nos diz que Jesus usava roupas de griffe... A túnica era sem costura, tecida de cima até embaixo. Era o tipo de vestimenta que os reis e os mercadores ricos usavam (John Avanzini, gravado em 20.1.1991, no programa de Kenneth Copeland).
Não ore mais por dinheiro... Exija tudo o que precisar (Kenneth Hagin citando Jesus, How God Taught Me about Prosperity, p. 17).

Jesus disse: "Tenho dito ao meu povo que ele pode ter o que diz, mas meu povo está dizendo o que tem" (Charles Capps, God's Creative Power Will Work for You, p. 26).
Deus quer que seus filhos usem a melhor roupa. Ele quer que eles dirijam os melhores carros e quer que eles tenham o melhor de tudo... simplesmente exija o que você precisa (Kenneth Hagin, New Thresholds of Faith, 1985, p. 55).

... Esta Bíblia é um livro de prosperidade!... A única vez em que as pessoas foram pobres na Bíblia foi quando elas estiveram sob uma maldição. E a única razão de terem estado sob maldição é porque não ouviram e não fizeram o que Deus lhes dissera que fizessem (Robert Tilton, gravado em 27.12.1990).

A Palavra de Deus jamais tratou os pobres com desdém, como se fossem amaldiçoados. Ao contrário, a preocupação de Deus para com o pobre é clara em toda a Escritura: "Pois nunca deixará de haver pobres na terra: por isso eu te ordeno: Livremente abrirás a tua mão para o teu irmão, para o necessitado, para o pobre na terra" (Deuteronômio 15:11). Isso foi endossado pelo Senhor Jesus, ao afirmar: "Porque os pobres sempre os tendes convosco e, quando quiserdes, podeis fazer-lhes bem" (Marcos 14:7); e por Paulo também: "Ou menosprezais a igreja de Deus, e envergonhais os que nada têm? Que vos direi? Louvar-vos-ei? Nisto certamente não vos louvo" (1 Coríntios 11:22). "recomendando-nos somente que nos lembrássemos dos pobres, o que também me esforcei por fazer" (Gálatas 2:10).
Quando Jesus foi apresentado no templo, seus pais levaram ao sacerdote a oferta do pobre: "e para oferecer um sacrifício, segundo o que está escrito na referida lei: Um par de rolas ou dois pombinhos" (Lucas 2:24, de acordo com Levítico 12:8). A situação financeira de José e Maria não indica, de modo nenhum, que estivessem sob algum tipo de maldição.
Certa vez, perguntado se era lícito pagar tributo a César, Jesus respondeu: "Por que me experimentais? Trazei-me um denário, para que eu o veja" (Marcos 12:14-16). Foi necessário que alguém lhe trouxesse uma moeda para que Jesus pudesse vê-la, o que indica que o Mestre não tinha consigo uma moeda. Ele mesmo afirmou numa outra ocasião não ter onde reclinar a cabeça (Lucas 9:58).
Nós desejamos sim ser prósperos, mas o desejamos segundo o que Deus tem para nós, a Palavra do Senhor nos ensina como podemos ter uma vida próspera, basta-nos observar o mandamento do Senhor e obedecê-lo.
Ao meditar no primeiro salmo da Bíblia, vemos um versículo muito agradável de ser citado: (v 3) " Pois será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual dá o seu fruto no seu tempo; as suas folhas não cairão, e tudo quanto fizer prosperará."
Mas afinal, quem será assim?Todos quantos lêem o texto e o decoram?Todos os cristãos? Leiamos os primeiros versos do salmo:
" Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes tem o seu prazer na lei do senhor, e na sua lei medita de dia e de noite"
Os versos um e dois estabelecem uma condição para que seja cumprida a promessa do verso três,são quatro pontos em destaque:
1) não andar segundo o conselho dos ímpios;
2) não se deter no caminho dos pecadores;
3) nem se assentar na roda dos escarnecedores;
4) meditar na palavra do Senhor dia e noite.
A passagem bíblica nos mostra como o Senhor abençoa os que se portam de maneira digna de um servo fiel, o problema é a nossa conduta diante dEle, aqueles que pregam prosperidade em vez de santidade não levam em consideração versículos como os dois primeiros do salmo, dizem que o Senhor dá, dá e dá, dizem que ele tem obrigação de fazer,impõem condições ao Criador e lhe dirigem palavras como se Ele fosse o servo, o criado.
Separação do mundo - as ações apontadas pelo salmo no verso segundo ( não andar,não se deter, não se assentar), devem ser atitudes normais dos crentes em Jesus, são os ímpios que andam desesperadamente em busca das riquezas dessa terra, e o fim deles não é agradável segundo os últimos versos do salmo ,mas quem anda buscando a face do Senhor e meditando nas Sagradas Letras não está com o coração arraigado em coisas materiais.
A prosperidade na vida do servo do Senhor não é algo que ele busque desenfreadamente, antes busca o Reio de Deus, e tudo mais quanto for necessário para nossa sobrevivência Ele nos acrescenta ( Mt 6.31-34 ) .
A verdadeira vida próspera que Deus tem para nós não é milhares e milhares de dólares e bens materiais incontáveis, e sim uma conduta digna de servo, que se submete às ordenanças de seu Senhor, que está pronto para sofrer afrontas por ELE (" Porque vos foi dada a graça de padecerdes por Cristo e não somente de crerdes nEle" Fp 1.29 ), que se interessa em viver em sua inteira dependência, esperando nEle e ensinando acerca de sua Palavra. Com uma vida íntegra e trabalho honesto Ele pode sim, nos abençoar e nos acrescentar bênçãos em todas as áreas de nossa vida. O servo do Senhor é como a árvore, tem raízes e é plantado em bom solo, já os ímpios o vento lhes sopra e os leva pois são como palha, secos e sem raiz alguma (vv 3,4).
Meditemos na Palavra dEle com temor e desejo de entender tudo quanto nosso Deus quer de nós, filhos dependentes de seu favor.
Salmo 1
"Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores.
Antes tem o seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite.
Pois será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual dá o seu fruto no seu tempo; as suas folhas não cairão, e tudo quanto fizer prosperará.
Não são assim os ímpios; mas são como a moinha que o vento espalha.
Por isso os ímpios não subsistirão no juízo, nem os pecadores na congregação dos justos. Porque o Senhor conhece o caminho dos justos; porém o caminho dos ímpios perecerá"
Vivamos o verdadeiro evangelho proposto pela Palavra do Senhor e não um $negócio$ rentável (principalmente para seus propagadores) que tem sido proclamado por supostos ministros de Deus ( Mt 6.19-21).
Bibliografia - SUPER CRENTES - Paulo Romeiro - Mundo Cristão.
em Cristo
Joao Paulo Mendes

2 comentários:

  1. Boa reflexão João Paulo! Dinheiro não é tudo, e aliás sem uma vida com Jesus o dinheiro não é nada nas nossas mãos. Rico é aquele que tem o Salvador, pois as demais coisas o serão sempre acrescentadas.

    ResponderExcluir
  2. Certamente ele nos acrescenta tudo aquilo de que temos falta.
    Precisamos nos ocupar em ser fiéis, filhos, testemunhas de Seu amor.

    JP

    ResponderExcluir

O PÚLPITO PENTECOSTAL (2)

Se por um lado há falta de preparo por parte de muitos pregadores sobre os púlpitos (leia aqui ), de outro há uma tendência em achar que ...