segunda-feira, 25 de agosto de 2008

MATEMÁTICA BÍBLICA.

Passei mais de três anos de minha vida em uma universidade estudando um pouco de matemática e após ler este artigo não creio que o conteúdo apresentado nele possa ser ensinado em algum banco escolar, é simplemente fantástico oque é apresentado por este defensor do cristianismo. Leia o artigo e procure também chegar às conclusões do escritor.
No grande jornal "SUN" de Nova York, apareceu uma carta de um leitor com conteúdo especial. Nesta, um céptico, chamando-se Mr. W.R. LAUGHLIN desafiava um crente da Bíblia que trouxesse uma vez fatos ao público, que provassem que a Bíblia seria de fato a Palavra de Deus. Então o Dr. Panin publicou o artigo seguinte, que apareceu no mesmo jornal "SUN" como resposta à carta do leitor contestante:
Prezado Senhor Redator, Na edição do seu jornal de hoje, desafia o senhor W.R. LAUGHLIN a um defensor da fé cristã, para subir ao palco e lhe trazer "fatos".Aqui estão alguns: Os primeiros 17 versículos do Novo Testamento contém a genealogia de Jesus Cristo. Esta genealogia separa-se em duas partes: Os versículos de 1-11 contém as gerações de Abraão, pai do povo judaico, até o exílio babilônico, quando os judeus pararam, deixando de ser uma nação autônoma. Nos versículos 12 a 17 temos a genealogia do exílio até Cristo. Nos primeiros 11 versículos que são usados ao todo 49 palavras diferentes, que são sete vezes sete (7X7). Destas, 42 (6X7) são substantivos e as outras sete não são substantivos. Dos 42 substantivos, 35 (5X7) são nomes próprios, e os sete restantes são substantivos comuns. Destes 35 nomes próprios, 28 (4X7) são antecedentes masculinos de Jesus, e os sete restantes não. No alfabeto grego estas 49 palavras se agrupam conforme suas primeiras letras da seguinte maneira: De Alpha até Epsilon tem 21 (3X7) De Beta até Kappa tem 14 (2X7) De Mi até Chi tem 14 (2X7) Estas 49 palavras deu todo 266 letras, ou seja (38X7). Estas se agrupam de novo no alfabeto em grupos de sete, que dizem as palavras que iniciam com: Alpha até Gamma tem 84 (12X7) letras. Delta tem 7 (1X7) letras. Epsilon até Zeta tem de 21 (3x7) letras. Tsêta até Jota tem 70 (10X7) letras. Kappa até Mi tem 21 (3X7) letras. Mmi tem 7 (1X7) letras. Omikron até Phi tem 49 (7X7) letras. Chi tem 7 (1X7) letras. Disto resulta que toda esta genealogia foi construída no plano artístico de grupos de sete. Voltemos para a genealogia ao todo. Eu não quero cansar os leitores com todas curiosidades numéricas que estão aqui, isto iria ocupar várias páginas de seu jornal.Somente uma coisa característica quero ainda destacar: Os gregos não tinham números, mas usavam para isto suas letras. Assim Alpha era igual a 1, Beta igual a 2, desta maneira toda palavra grega tem um certo valor numérico, que resulta da adição do valor de cada letra. Agora a genealogia completa, contém 72 palavras. Se somarmos todos os valores destas 72 palavras temos a soma de 42.364 (6.952X7). Estes (6.952X7) não são jogados de qualquer maneira no alfabeto, mas de novo em grupos de sete palavras, que começam com o Alpha e Beta com valor total de 9.821 (1.405X7). Assim sendo, não são somente os onze primeiros versículos desta genealogia, mas tudo é construído sob o plano minucioso de 7. Outro traço: As 72 palavras aparecem em 90 formas diferentes. Se as tomarmos esses valores teremos um total de 54.075 (7.725X7), e está novamente distribuída em grupos de 70 diversas letras do alfabeto, precisamente em grupos de sete. O Sr. Laughlin deve se sentar uma vez e tentar fazer um tratado, com mais ou menos 300 palavras, tão compreensível como essa genealogia e nisto incluir algumas características numéricas aqui descritas. De boa vontade vamos lhe dar um mês de tempo para a experiência. Mateus provavelmente não demorou uma semana para escrever a genealogia. Isso significa: Um anel dentro do outro. No parágrafo seguinte do primeiro capítulo, nos versículos 18 a 25, é relatado o nascimento de Jesus, contém 161 palavras (23X7). São usados 77 diferentes palavras (11X7) que aparecem em 105 formas diferentes (15X7). O anjo que falou com José, utiliza 28 das 77 palavras (4X7) e deixa 49 (7X7) sem usar. Das 105 formas o anjo só usa 35 (5X7), e 70 (10X7) ele não usa. No alfabeto estas 77 palavras novamente se encontram em grupos de 7, como também nas suas 105 formas, como também na frequência do aparecimento das 161 palavras ao todo. A soma dos valores numéricos das 77 palavras dá 52.605 (7.515X7), a soma das formas dá 65.429 (9.347X7), com agrupamentos de sete correspondentes de maneiras diferentes. Outro fato é que a mensagem do anjo forma o seu próprio sistema de 7, fazendo disso um anel dentro do outro, uma roda dentro da roda. Se o Sr. Laughlin puder escrever uma história semelhante com 160 palavras e com sistema semelhante de grupo de sete no valor numérico das letras e palavras, então ele se distingue. De boa vontade vamos dar-lhe 2 meses de tempo para que ele experimente. Mateus provavelmente não gastou mais do que duas semanas para isso. Harmonia completa.
O segundo capítulo do evangelho de Mateus relata a meninice de Jesus. São usadas 161 palavras (23X7), que são usadas em 238 formas diferentes (34X7). Elas contêm 896 letras (128X7), com um valor numérico de 123.529 (17.647X7) enquanto os 238 formas tem um valor de 166.985 (23.855X7). Se tratássemos disto em particular iríamos cansar-lhe. Neste capítulo temos quatro parágrafos lógicos, dos quais cada um novamente apresenta as mesmas características numéricas como o capítulo todo. Assim temos nos primeiros 6 versículos o número de 56 palavras (8X7). Nelas são apresentados vários discursos, o de Herodes, o dos magos e o do Anjo Gabriel. As características numéricas destes discursos são tão manifestas, que embora, de certo modo, cada uma em si é perfeita e mesmo assim fica em harmonia com o todo.

Se o Sr. Laughlin poder escrever um capítulo dessa maneira que em mais ou menos 500 palavras apresente um tão grande número de cálculo tecidos um ao outro e assim mesmo sendo análogos, digamos então num prazo de cinco anos, esperaremos. Suponhamos que Mateus não gastou, mais do que um ano. Um milagre Literário Entre todas as centenas de parágrafos no evangelho de Mateus, não encontramos nenhum que não os caracterize por esta descrição numérica. Só que em cada novo parágrafo aumenta a dificuldade de combinação e construção, e isto não em progresso aritmético, mas potencial. Porque Mateus entende, escrevendo seus parágrafos de uma maneira que ele continuamente constrói novas combinações de numéricas, tanto naquilo que já foi escrito como daquilo com que segue. Assim, por exemplo, ele consegue usar no seu último capítulo, precisamente sete novas palavras, que ele não usou antes em todo o seu evangelho. Ele também usa exatamente 140 palavras, isto é (20X7), que não existem em todo o Novo Testamento. Sendo assim, fica muito fácil para calcular, e que o Sr. Laughlin precisaria ao menos alguns 100 anos, para poder escrever um livro semelhante a Mateus. Quanto tempo Matheus trabalhou no seu, não sabemos mas ele conseguiu terminar entre o ano 30, depois de Cristo ter sido crucificado - porque ele não poderia começar antes nem depois do anos 70 em que foi destruída Jerusalém, visto que faz referência a esta destruição e isto nos leva a crer que era um homem sensato. Ora, o fato é certo que ele fez referências a esta destruição, e isto simplesmente também significa um milagre. Sendo assim ele se apresenta para nós como um Gênio Lliterário-Matemático, que antes nunca houve, nem igual ou parecido, o que é totalmente inexplicável. Este é o primeiro dos fatos que queremos dar ao Sr. Laughlin para que reflita e pense alguns minutos a respeito. Um outro fato ainda mais curioso e importante do que já foi dito vamos mencionar, é este que Mateus usa 140 palavras (20X7) que não se acham em todo o resto do Novo Testamento. A pergunta se impõe, como poderia este homem saber que Marcos, Lucas, João, Tiago, Pedro, Judas e Paulo não usariam estas palavras? Se não levarmos em consideração as seguintes hipóteses é totalmente impossível ter sido escrito como o foi: Ou Mateus tinha combinado isto antes com todos eles; ou, ele tinha todo o resto do Novo Testamento na sua frente antes de começar a escrever; ou então, do Novo Testamento todo, deve ter sido o evangelho de Mateus o livro que foi escrito por último. Entretanto, nenhuma hipótese satisfaz. Como pode isto ser humanamente possível? Vejamos outrossim, acontece no evangelho de Marcos é também um milagre literário e matemático igual ao de Mateus. E de conformidade com o mesmo princípio pelo qual descobrimos que Mateus sem falta tinha que ter escrito por último, também é certo que Marcos tem que ter feito o mesmo. Isso quer dizer, que sem dúvida Marcos só pode ter escrito após Mateus. Mas agora ainda temos que dizer que o evangelho de Lucas apresenta exatamente as mesmas características como de Mateus e Marcos, e do mesmo modo João, Tiago, Pedro, Paulo e Judas. Assim não temos somente dois gênios literários-matemáticos milagrosos e nunca vistos, mas oito, e cada um deles tem escrito somente depois do outro. Também isso é tudo. Como Lucas e Pedro tem escrito cada um dois livros do Novo Testamento, João 5 e Paulo 13 ou 14, terá que se comprovar que cada um só por ter sido escrito após todos os outros. Dessa mesma forma pode ser comprovado que das 537 páginas do texto grego (edição de Westcott e Host) também tem que ter sido escrito por último, assim como também cada parágrafo, dos quais aparecem muitos várias vezes numa página só. As mesmas características estão em tudo e não existe possibilidade humana para explicar isto. Oito homens impossivelmente podem ter escrito cada um por último, 27 livros, 537 páginas e milhares de parágrafos? Como também é impossível ter sido escrito cada um após outro, sendo que cada um é o último. Imaginemos entretanto, que um único Espírito dominante ordenava tudo, então o problema é solucionado de modo bem simples e natural, tão fácil como uma equação algébrica. Isto portanto, significa uma expressão verbal de cada Jota ou Til do Novo Testamento. Só quero acrescentar ainda, que do mesmo modo podemos provar e comprovar de que o texto hebraico do Antigo Testamento foi também inspirado literalmente.


Traduzido de:"DER UNS DEN SIEG GIBT", pags. 97-106; de FRIEDHELM KÖNIG. Artigo acima, extraído do livro "DER UNS DEN SIEG GIBT", é do cientista Dr. Ivan Panin, nascido na Rússia, estudou mais tarde na Alemanha, e depois nos EUA na universidade de Haward. Foi um gênio matemático bem como um lingüista. Na idade de de 85 anos ele apresentou fatos científicos, que tem de deixar o mundo estarrecer. Os manuscritos originais de sua obra somam quase 40.000 páginas, nas quais ele trabalhou durante uns 50 anos de 12 a 18 horas diárias


João Paulo

quarta-feira, 20 de agosto de 2008

GLÓRIA DE DEUS - GLÓRIA A DEUS

Bendito seja nosso Deus por esse último final de semana em que estivemos em festa, realmente Ele manifestou em nosso meio Sua glória e seu poder através da pregação de Sua perfeita Palavra, dos louvores e da atuação do Espírito Santo.
Como se sabe em um período do Antigo Testamento a presença do Senhor era representada pela Arca da Aliança dada ao povo de Israel, porém, hoje não mais precisamos de tê-la em nosso meio, a presença do Deus Criador não é mais restrita a Israel mas, agora todo o homem pode ouvir a voz do Senhor e senti-Lo em qualquer parte e foi isso que o Senhor nos levou a presenciar nos últimos dias, não pensem que o mover de Deus foi direcionado por experiências bizarras ou guiadas por emocionalismo como se vê algumas reuniões ditas pentecostais, o que vimos e presenciamos foi a pregação bíblica, clara e fundamentada também na razão. Razão? Sim, a fé também tem razão, a palavra do Senhor diz : "ROGO-VOS, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional." (Romanos 12 : 1), só um culto racional através do exame do que ouvimos à luz das Escrituras é que pode nos fazer alcançar uma espiritualidade sadia em Deus, sem racionalidade nunca haverá espiritualidade, inclusive o Pr César Moisés enfatizou no Domingo pela manhã que não podemos separar a intelectualidade da parte espiritual, é claro que qualquer um dos extremos é prejudicial à fé e à comunidade cristã, ser extremamente intelcetuais nos torna frios e distantes do nosso Deus que opera sobrenaturalmente, também o extremo espiritual leva pessoas a valorizar excessivamente as experiências e afastar-se do exame da Palavra de Deus, esse conceito é bíblico e indispensável ao cristão, "E Jesus, respondendo, disse-lhes: Porventura não errais vós em razão de não saberdes as Escrituras nem o poder de Deus?" (Marcos 12 : 24).


Na sexta ouvimos uma mensagem, através do Pr Heitor, de como Noé se manteve filho (devido à sua separação) de Deus em meio a uma sociedade que a cada dia se afastava do Senhor, aprendemos que podemos ser como Noé ainda que sejamos taxados de loucos, no final o Senhor fará a separação entre os seus e os que rejeitaram Sua mensagem. Sábado pela manhã o Pr César falou sobre alguns fundamentos da nossa fé: Você crê que Deus é real? Vem à igreja porque sempre foi trazido pelo pai ou crê realmente no Deus que se prega aqui? Você crê que Jesus realmente esteve aqui há mais de dois mil anos? Crê que Deus criou tudo que vemos ou acha a idéia evolutiva mais aceitável? Todas essas perguntas certamente permeiam os pensamentos de muitos jovens, adolescentes e adultos de nosso dias, então, vimos como a Bíblia, a Palavra de Deus, é verdeira e que se examinadas as teorias acerca da criação do universo, da evolução da espécie humana e outras certamente suas incoerências não podem deixa-las de pé, enquanto a Palavra de Deus e a veracidade do Cristianismo podem ser defendidas racionalemente de forma inteligente se mostrando a única solução para as dúvidas humanas.
Fiquei feliz ao conhecer um amigo blogueiro na manhã de Domingo, foi o Pr Juber Donizete , realmente a internet pode se tornar algo de valor para Deus através de seus servos que sabem usá-la, foi nesse ambiente que conheci tanto o Pr Juber como o Pr César.


Ainda na manhã de Domingo ouvimos uma palavra de exortação, a qual falou duramente conosco levando-nos a repensar nosso conceito de cristãos, de santidade, de espiritualidade e nos colocarmos diante do Senhor de forma humilde e sincera ( sem cera, sem maquiagem para cobrir as imperfeições ) para que nossa conduta cristã ultrapasse o meio evangélico que vivemos parte de nossa semana, devemos mostrar nossos frutos em situações adversas quando nossa natureza carnal desejar mostrar-se mais forte que o "homem espiritual", principalmente quando entre ímpios devemos refletir a imagem do nosso Senhor Jesus . Muitas pessoas se prontificaram a repensar seu modo cristão de viver e para isso oramos e certamente Deus fará mudanças na vida daqueles que se esforçarem por buscar uma vida de integridade e santidade.
Nas noites de Sábado e Domingo ouvimos o Pr Elizeu louvar e pregar a palavra de Deus, vimos que Moisés também foi achado por Deus em meio a um povo idólatra e impuro, o Egito adorava vários deuses e mantinha ali o povo de Deus escravizado e cercado por aquela impureza que poderia levava-los a se corromperem e não se voltarem para Deus da forma que desejava o Senhor, então o EU SOU separa e envia Moisés para libertar Seu povo daquela nação idólatra. Deus precisa de homens como Moisés, que estejam dispostos a ser um canal de Deus para a libertação de muitos, pessoas que reconheçam sua incapacidade mas que se coloquem diante do Senhor capacitador,também ouvimos na última noite do congresso que temos que fazer nossa parte para que Deus nos abençoe e para que alcancemos a graça do Senhor em nossas vidas. Deus opera sim, mas há coisas que dependem do homem fazer para que Ele faça a parte que Lhe cabe, a nós cabe a santifiação, os esforço em ler a Palavra, em orar, em amar nossos irmãos que carecem de assitência material e/ou espiritual, em amar as almas que sem Deus caminham para a perdição, em demonstrar publicamente a imagem de Cristo em nossas atitudes e palavras e tudo quanto for divino Ele o fará, devemos preparar o ambiente para que Deus possa agir em nosso viver n momento que Ele quiser, da forma que desejar e como Lhe parecer bem .
A glória do Senhor e Sua presença foi manifesta em nosso meio de forma Bíblica, crescemos no conhecimento e na Graça do Pai, em Cristo Jesus podemos entrar na presença do Senhor e nos derramar diante dEle. Sem dúvida nossos jovens e adolescentes estarão mais próximos de Deus, o buscarão mais e terão uma fé fundamentada com firmeza na Palavra do Senhor.
Festividades assim estaremos sempre dispostos a nos esforçar para que se realizem, nada de pop star evangélico nem modismos ou heresias, só a centralidade da Palavra de Deus e eu como um dos líderes do departamento de Jovens/Adolescentes louvo a Deus constantemente por sua misericórdia em nos abençoar tão ricamente.
A Deus seja a honra e Glória.


* Assim que conseguir quero postar o áudio das mensagens.

João Paulo

sexta-feira, 8 de agosto de 2008

10º CONGRESSO DA UMADCA



"Filhos de Deus em meio a uma geração corrompida" esse é o tema do nosso 10º congresso da União de Mocidade e adolescentes da Assembléia de Deus Central em Araguari.
Em dias em que a juventude tem perdido totalmente a noção e o padrão de conduta, em uma sociedade em que o pensamento relativista reina e já não há quase mais espaço para a verdade absoluta de Deus, em um tempo em que pais não conseguem mais educar seus filhos ou até mesmo perderam o controle sobre a educação dos filhos pois a sociedade luta constantemente para que os filhos sejam excessivamente respeitados no que diz respeito á suas opções; nós estaremos buscando em Deus a conversão em sua direção juntos, crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos.
Apesar de encontrarmos alguns "minsitros" de Deus cobrando absurdos valores para exporem a Palavra de Deus, (ou animarem a platéia), estipulando cachês com valores astronômicos, nós, recebemos a graça de Deus de poder contar com dois servos de Deus que virão de longe ministrar a Palavra de Deus por amor à obra de Deus, são eles:



O Pastor Elizeu Gomes nosso irmão e amigo esteve durante anos nos EUA e está de volta para o Brasil e já esteve conosco várias vezes trazendo a Palavra de Deus e louvando ao Senhor, inclusive o louvor é algo que Deus tem colocado em suas mãos para alcançar vidas de forma sobrenatural, o pr Elizeu Gomes é compositor de várias canções de sucesso, cantadas por cantores como: CASSIANE, ELIANE DE JESUS (E ALEXANDRE SILVA), DANIELE CRISTINA, LAURIETE, JOSANA GLESSA, MARINA DE OLIVEIRA entre outros e mesmo que tenha alcançado favor de Deus e se tornado conhecido pelo Brasil e em várias partes do mundo o servo de Deus ainda continua servo, servindo ao Reino com simplicidade e temor no Senhor.


O Pastor César Moisés é outro servo do Senhor com quem fizemos contato e que nos atendeu de imediato sem colocar qualquer entrave ou condição para estar conosco ministrando a palavra de Deus, se dispôs a viajar mais de 1000 quilomêtros para ser usado por Deus nas manhãs dos dias 16 e 17 de Agosto. O Pr César é autor dos livros: " O Mundo de Rebeca ",. voltado para o público adolescente e jovem e " Marketing para a Escola Dominical" ambos editados pela CPAD, o último foi ganhador do prêmio Areté na categoria educação Cristã.
São servos de Deus dispostos a se esforçarem para que nossa juventude e todos os cristãos se aproximem do Senhor, Deus tem feito e fará coisas grandes nesses dias de festividade.
A honra e a glória sejam dadas ao Senhor por ter exaltado esses dois servos citados aqui, mas fica essa postagem não para engrandecê-los mas, para que possamos ver que ainda existem ministros verdadeiramente de Deus, que fazem a obra para Deus e é claro que mais servos de Deus que procedem de igual modo, que Deus a todos abençoe.
Você poderá participar conosco de nossa festividade através do site: http://www.adca.org.br/ a partir de sexta feira às 19:30, sábado 09:00 e 19:00 e Domingo 09:00 e 19:00, esperamos você.

em Cristo,


João Paulo Mendes

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

APOLOGIA À ATUALIDADE DOS DONS ESPIRITUAIS.


COM PRETENSA BASE BÍBLICA, ATAQUES À FÉ PENTECOSTAL
REVELAM TENTATIVA DE DESACREDITAR OS DONS ESPIRITUAIS

Por Antônio Mesquita

Depois de assistir a parte de um programa bizarro, por sua afronta aos que recebem o batismo no Espírito Santo e ação dos dons espirituais, não pude deixar de apresentar esta defesa da fé cristã.
É aviltante, mas tais ações não podem ficar sem resposta, embora tudo isso poderia se evitar, não fosse a presença de pessoas, que nem mesmo precisariam espirituais, porém um pouco mais inteligentes e tementes ao Senhor.
A exposição do programa de televisão, que se prestou a essa defesa infantil – para não dizer menina, como classificaria o apóstolo Paulo –, por seus argumentos, demonstrou mesquinharia e mediocridade. Para que outros não entrem pela mesma toleima desses insolentes, tomo a oportunidade de refutar e apresentar apologia da fé cristã.
Tomo a resposta que produzi, para responder a um artigo de cunho cessacionista, do tomo e insiro 14 itens, para refutar a idéia de que o batismo no Espírito Santo e os dons espirituais foram somente para o tempo dos apóstolos.
Desta vez, os sujeitos, sem nenhuma base bíblica convincente, ou que poderia nortear suas farsas com bases nos textos originais. Para estes opositores se mostram do “o outro lado” à Palavra (Satã no hebraico (demônio) tem a raiz no verbo impedir, bloquear. Na tradução judaica Satã é “outro lado”), falar em línguas não passa da tradução da mensagem de uma determinada língua para outra, sem nenhuma intervenção do Espírito Santo, senão pelo aprendizado repentino da língua desconhecida em sua cultura (sic).
Imaginem quantas pessoas não se convertiam ao Evangelho somente para que pudessem aprender outras línguas? Quem sabe, já que crêem assim, eles não experimentassem montar escolas de aprendizado de línguas, se é tão simples assim, não é mesmo?!
Estes mesmos homens seriam como Simão, o Mágico que queriam, à moda desses “ensinadores televisivos” tomar o poder de Deus como simples variação humana e que, portanto, poderia negociá-lo.

AOS FATOS E AO TEXTO BÍBLICO

A Bíblia afirma que o derramar do Espírito foi para o tempo dos apóstolos e para o futuro: "Porque a promessa vos diz respeito a vós, a vossos filhos e a todos os que estão longe: a tantos quantos Deus, nosso Senhor, chamar", Atos 2.39.

1) Os presentes (vós);
2) a vossos filhos (geração seguinte);
3) e a todos os que estão longe (gerações subseqüentes e distantes indicadas no imperativo do Senhor: “até os confins da terra”). Esta deve ser a interpretação do texto, pois a seqüência da idéia e da mensagem, diz isto.
Ora, na profecia de Joel, que trata do ocorrido citado por Pedro temos a idéia de abrangência mundial e não somente local, como sugere o irado crítico:
4) “E nos últimos dias acontecerá, diz Deus, que do meu Espírito derramarei sobre toda a carne...” (v17), “e acontecerá que todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo” (v21);
5) O que se entende por “toda a carne”?, senão além dos judeus!;
6) Esse tipo de crítica irresponsável e agressiva é próprio de neófito, conforme ocorreu no Dia de Pentecostes. Enquanto alguns se maravilhavam (Atos 2.12), “...outros, zombavam” (v13);
7) “Nos últimos dias” (v17), não quer dizer em um único tempo. O texto está no plural e projetando o futuro. “últimos dias” fala em tempo do fim, que o próprio crítico cita, referindo-se a 1Timóteo 4.1, porém, torcendo-o, na tentativa humana e pessoal de justificar sua infundada tese: “Mas o Espírito expressamente diz que, nos últimos tempos”;
8) O mesmo texto segue e fala em apostasia, caracterizada na idéia expressa desses homens. Apostasia é a “Separação ou deserção do corpo constituído (de uma instituição, de um partido, de uma corporação) ao qual se pertencia; Abandono da fé de uma igreja, especialmente a cristã” (Aurélio);
9) Na seqüência, temos ainda a manifestação ministerial em Timóteo, ocorrida “à moda” pentecostal-tradicional, conforme diz o apóstolo Paulo, senão vejamos: “Não despreze o dom que há em ti, o qual te foi dado por profecia, com a imposição das mãos do presbitério”, v14-15. O apóstolo Pedro volta ao tema ao tecer comentário da revelação salvação “no último tempo” (1Pedro 1.5);
10) Veja que dom (dom ministerial) fora revelado por profecia pelo Espírito Santo à igreja. Aqui não há nada de tradução de língua como tentar distorcer.
11) “naqueles dias” não se refere, com certeza (somente) ao “Dia” de Pentecostes, obviamente;
12) Ainda Atos 2.39, complementa: “Porque a promessa vos diz respeito s vós, a vossos filhos e a todos os que estão longe; a tantos quantos Deus, nosso Senhor, chamar”;
13) No Dia do Pentecostes estavam em Jerusalém, não somente judeus, mas “judeus” e “varões religiosos, de todas as nações” (2.5), inclusive “forasteiros romanos”, v10. Deles, depois da indagação que deu origem ao texto acima (“a todos quantos o Senhor... chamar”), cerca de 3 mil pessoas receberam Jesus e passaram a formar a Igreja do Senhor (v41). Portanto, não somente judeus;
14) Os que não aceitaram o plano divino e até zombavam, foram nomeados de “geração perversa” (v40);
15)O batismo no Espírito Santo sempre esteve presente na história da Igreja, como indicam experiências de homens que marcaram época pela ação do Espírito divino em suas vidas. Consulte encarte publicado na revista Ensinador Cristão, nº 27, jul-set/06, e Manual do Obreiro, nº 33, página 14, jan-mar/06, (Jorge Andrade). Nelas são mostradas as diferentes épocas, desde a Igreja Primitiva, e as experiências registradas em cada uma delas (de homens consagrados ao Senhor e reconhecidos pela História, que falaram em línguas estranhas);
16) Por fim, tomamos o conselho do apóstolo João, já velho e, portanto, não no começo da igreja, mas quando ela já estava bem presente no meio dos não-judeus, entre 85-95dC, diz o seguinte: “Amados, não creiais em todo o espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo” (1João 4.1). O texto prova que havia manifestação espiritual na igreja, por meio dos dons, inclusive com profecias.
17)Como tais pessoas, outras se levantaram, instigadas pelo Diabo, para tentar impedir que a Palavra do Senhor se cumpra entre os homens. Agem com equívoco de avaliação e jogam a banheira com a criança junto, a exemplo do que fez Herodes que, ao tentar matar Jesus, ordenou a aniquilação de todas as crianças com até 2 anos de idade, em Belém.

CÉTICOS, MAS NEM TANTO

Até mesmo os católicos romanos, tido como mais céticos, fazem o seguinte comentário: “A promessa do Espírito Santo foi feita ‘a vós... e aos vossos filhos’ (At 2.39), isto é, aos judeus de todo o mundo reunidos para a festa e às gerações futuras. ‘A todos os que estão longe, quantos o Senhor Deus chamar’ (2.39) anuncia a pregação aos pagãos mais tarde nos Atos. Os ouvintes devem salvar-se ‘desta geração transviada’ (2.40)”. 1

NÃO VÁ ALÉM (NEM FIQUE AQUÉM)

Podemos igualmente visitar Gálatas 1.8-9, livro que reflete a apologia de Paulo aos hereges da época: “Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro Evangelho que vá além do que já vos tenho anunciado, seja anátema. Assim, como já vo-lo dissemos, agora de novo também vo-lo digo. Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema”.
Afinal não vamos além, e ainda não ficamos aquém. Pregamos o que está na Bíblia sem o equívoco de interpretação a partir de uma idéia sem nenhum fundamento exegético. A interpretação que corresponde à exegese bíblica, enquanto a visão distorcida do batismo no Espírito Santo tem o peso da antecipação crítica com o intuito de justificar o injustificável.
Por outro lado, o testemunho (resultado da ação da fé desde a salvação à ação do Espírito na operação de maravilhas) é a identidade mais forte entre pentecostais. Esse é o principal entrave para esses tais, não só na questão do falar novas línguas, mas tudo o que diz respeito aos dons espirituais, conforme é citado no texto: “Porque andamos por fé e não por vista”, 2Coríntios 5.7.
A fé serve justamente para que o impossível (à visão e mente humanas) torne-se real. Aí reside a principal dificuldade – crer no impossível: cura divina, expulsão de demônios e toda e qualquer manifestação de maravilhas.
Os sinais, em especial os operados pela manifestação dos dons espirituais ainda permanecem como meio poderoso que acaba por afugentar a frieza espiritual, conforme as Sagradas Letras preconizam: “Não havendo profecia, o povo se corrompe” (Provérbios 29.18). Segundo comentário da Bíblia de Estudo Pentecostal (CPAD), “Profecia’ neste versículo traduz a palavra hebraica hazon (literalmente: ‘visão’, e também ‘revelação’”).
A audácia desses homens incautos, completa na blasfêmia quando afirmam que “milagres da nossa época, se referem à atuação de espíritos enganadores”. Ora, os fariseus demonstravam esse mesmo ‘zelo religioso’ e acusaram Jesus por motivo idêntico (Lucas 11.14-28). A ação do Espírito (‘o dedo de Deus’ cf v20), com expulsão de demônios por Jesus, fora nomeada pelos fariseus como algo efetivado em conluio com o próprio demônio (“Belzubu, príncipe dos demônios”, v15). Opositores do Senhor se fazem diabos, pois diabo significa opositor.

DONS EM CORINTO


Essa idéia equivocada, pobre, rasteira e atroz da manifestação do Espírito Santo não é a mesma que o apóstolo Paulo ensina em 1Coríntios 12, ao falar dos dons espirituais e sua diversidade, visto que havia grande e notável manifestação entre os coríntios. Era uma igreja gentílica cheia de manifestação de dons do Espírito Santo, em que as pessoas falavam de forma desordenada, conforme eles acusam as igrejas pentecostais. Paulo diz (o que serve a eles): “Acerca dos dons espirituais, não quero, irmãos, que sejais ignorantes”.
Tanto que os coríntios (gentios) receberam todos os dons e deram trabalho a Paulo justamente porque sua fé ainda misturava-se com crença remanescente de deuses que antes serviam. Eles passaram a enfatizar mais os dons que as virtudes espirituais.
Os dons espirituais, a exemplo do batismo no Espírito Santo, atravessaram épocas, acompanharam a História da Igreja, conforme relatos, que só mesmo esse homem não teve acesso, embora público. “As comunidades cristãs do século 1 tinham de regularizar as profecias (...). Elas faziam parte da vida comum da igreja primitiva e se estenderam pelos séculos subseqüentes (veja Didaquê, Pastor de Hermas, Inácio, Irineu, Tertuliano, Montano e Cipriano)”. 2

AS EPÍSTOLAS PASTORAIS PRESERVAM O ESPÍRITO


Como pode ser o ensino sobre o batismo no Espírito Santo anti-bíblico se ele está explicito na própria Bíblia. Paulo escreve bem depois da morte do Senhor, como em 1Coríntios (por volta de 57) e Atos por volta de 63, quando a igreja já estava dentre os gentios (Paulo é considerado apóstolo dos gentios), sobre o batismo no Espírito Santo, como sinal da graça do Senhor (os dons são carismáticos). Nos dois livros temos batismo no Espírito Santo e o incentivo para que o crente o busque.
Essas mentes não reconhecem o batismo no Espírito Santo bíblico, porque, como diz a Palavra: “Aos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos”, 2Coríntios 4.4.
Sua dificuldade de crença e fé limita a ação divina aos muros da capacidade de suas mentes humanas, carnais e limitadas.
Quando o crente é cheio do Espírito Santo transbordar, conforme ensina Jesus ao falar na Festa em Jerusalém: “Quem crê em mim, como diz a Escritura (e não como os homens tentam dizer) rios d’águas vivas correrão do seu ventre”, Jo 7.38 (O grifo e o parêntese são meus).
Como é ver um rio com água vivificada? Vamos imaginar. Será que tem movimento, barulho, quando rola a água em suas pedras; indica vida, testemunhada visivelmente, como autêntica renovação? Ou indica algo parado, invisível, morto? Não seria algo transbordante, que jorra para fora?
A Bíblia segue ensinando: “E isso disse ele do Espírito, que haviam de receber os que nele cressem; porque o Espírito Santo ainda não fora dado, por ainda Jesus não ter sido glorificado”, João 7.38-39.
Ainda do mesmo Espírito, o Consolador (o Outro da mesma espécie), conforme João 15.26-27, a Bíblia diz que Ele “falará”, com ações semelhantes ao do Senhor, daí a sua vinda, como pessoa da Trindade (João 16.13-14). Estas mesmas idéias se assemelham às das Testemunhas de Jeová, que afirmam ser o Espírito Santo um fluído somente?
Pedro fala dos últimos tempos e apresenta falsos doutores: “Mas estes como animais irracionais... blasfemando do que não entendem... Estes são fontes sem água... (secos), porque falando coisas mui arrogantes” (2Pedro 2.12,18).
Em Corinto estavam presentes “todos os dons” e não somente um de intérprete de língua natural, como tenta acreditar tais pessoas. E mais, Paulo afirma que os que falavam somente línguas estranhas – mistério com Deus – sem o dom de interpretação dessas mesmas línguas, edificavam a si próprios. Como poderia ser uma língua natural, e a pessoa não saber o que estava falando, não interpretar como tentam dizer, e se edificar?
Embora tentem criar obstáculos a Bíblia diz? “Não extingais o Espírito”, 1Tessalonicenses 5.19, ou seja, não apague, não limite, não inutilize o Espírito. Extinguir é da mesma raiz da palavra extintor, equipamento usado para apagar fogo. O fogo deve arder continuamente no altar e não se apagar (cf Levitico 6.13), assim como ocorrera com os dois discípulos a caminho de Emaus, pela presença de Jesus entre eles (Lucas 24.32).
Arder é “Consumir-se em chamas; queimar-se; Consumir-se como que em chamas; Estar como que em chamas, em brasa; Estar aceso; Produzir sensação de ardor; queimar, abrasar” (Aurélio).
Por favor, leia e examine a Bíblia (“Porventura, não errais em razão de não saberdes as Escrituras nem o poder de Deus?, Marcos 12.24”)Que o Senhor tenha misericórdia dos seguidores dessa heresia, para que seus olhos se abram.



Mais artigos sobre o assunto :



em Cristo,

João Paulo Mendes.

O PÚLPITO PENTECOSTAL (2)

Se por um lado há falta de preparo por parte de muitos pregadores sobre os púlpitos (leia aqui ), de outro há uma tendência em achar que ...