terça-feira, 2 de junho de 2009

SÃO SINCERAS AS DÚVIDAS?


Você já foi aurguido por algum crente acerca dos fundamentos bíblicos para o exercício da entrega do dízimo? Já fizeram questionamentos a você sobre a inerrância da Bíblia, sobre a veracidade ou não das histórias ali narradas? Sobre o que pode e não pode, isso inclui sexo, bebinas, fumo e tantas outras coisas.
Se não, a mim fizeram, não só essas duas perguntas, mas um amontoados de questões outras.
E a "preocupação" das pessoas que se prendem a essas questões me deixa incomodado e leva-me a pensar em alguns pontos:

1. Será que a preocupação de tais pessoas está em buscar de fato a vontade do Senhor ou satisfazerem seus desejos?Tal preocupação é zelo pela obra do Senhor ou falta de entendimento quanto ao que é, de fato, a obra do SENHOR?

2. Ao falarem de assuntos como os citados acima estes crentes gostam de citar a igreja primitiva como exemplo, dizem: na igreja primitviva não era assim, era deste modo. Então o modelo que querem adotar é a igreja primitiva? Então adotemos num todo e vejamos se teremos tempo para nos ocuparmos tão "relevantes" indagações.

2.1 Como se portavam em relação à doutrina bíblica? (Atos 2)
O versículo 42 diz que perseveram na doutrina dos apóstolos. Não ficavam enlaçados em vãs filosofias? Em genealogias intermináveis? Em discussões sem fim? Não!
Sigam esse exemplo.
2.2 Em relação á comunhão?
Perseveravam também nela (v42, 44).
Não congrevam em casa via internet? Não!
Não exerciam a comunhão indo cada dia em uma igreja sem serem ligados a uma denominação e exercendo o trabalho em uma comunidade cristã? Não, eles estavam juntos diariamente, eram unânimes no propósito de buscar o Reino do Senhor em primeiro lugar e não de dividir uma comunidade cristã.


2.3 E o temor do Senhor? (v 43)
Os cristãos primitivos eram tementes a Deus, o valorizavam e amavam sua presença. Quem busca o limite entre o bem e o mal teme a Deus ou quer apenas saber até onde pode ir? Um verdadeiro cristão não busca o limite, busca estar o mais longe possível do pecado, do erro, e o mais próximo que puder de Cristo.


2.4 Em Atos 2.45 está escrito o seguinte: " E vendiam suas propriedades e bens, e repartiam com todos, segundo cada um havia de mister."
Como a igreja no seu início se portava em relaçaõ ao acúmulo de bens em face da necessidade de outros irmãos?
Não viviam se matando em busca de dinheiro e posições? Não!
Não se matavam de estudar em busca de um emprego que pagasse um bom salário para só no futuro se dedicarem a Deus? Não! O serviam diariamente com fervor.
Querem copiar o exemplo?


Os exemplos da igreja cristã são vários, bons exemplos que se seguidos pelos questionadores de tudo, não lhe dariam tempo de tanto questionar.
Querem questionar conceitos à luz do exemplo dos primeiros cristãos? Então é bom deixarem suas vontades e entregarem-se de todo a Cristo, há carência de missionários, de bons ensinadores, de intercessores; façam o que eles faziam, orem até que Deus se manifeste do céu como no dia de pentecostes, doem a vida pela causa de Cristo.
Esses são só questionamentos quanto às muitas dúvidas de pessoas que não são sinceras quanto ao propósito da fundação da Igreja pelo Senhor Jesus.

Não questiono a necessidade de ensino sobre alguns temas inquietantas que algumas pessoas, cheias de desejo de verdadeiramente aprender mais do SENHOR, têm ;essas necessitam e devem receber, com amor, orientação em Cristo, e é certo que após esclarecidas continuaram a se ocupar daquilo é mister no Reino do SENHOR.

Nenhum comentário:

Postar um comentário