sábado, 31 de outubro de 2015

DIA 31 DE OUTUBRO: "DIA DA REFORMA PROTESTANTE"




A igreja nos tempos de Lutero

A igreja Católica do século XVI possuía uma influência muito grande na sociedade. Muitos homens foram condenados e mortos pela igreja por criticar práticas anti-bíblicas, como a venda de indulgências.

 O que eram indulgências

Como o papa Leão X precisava arrecadar verbas para a conclusão das obras da Basílica de São Pedro em Roma, enviou Jhon Tetzel para vender bulas assinadas pelo papa, as quais, dizia, tinha a virtude de conceder o perdão de todos os pecados, não só aos possuidores da bula, mas também aos amigos, mortos ou vivos. Tetzel dizia: “Tão depressa o vosso dinheiro caia no cofre, a alma dos vossos amigos subirá do purgatório para o céu.”

 A Caminho da Reforma

Martinho Lutero foi criado sob fundamentos católicos, pois sua mãe era muito devota. Apesar de seu pai desejar que ele se formasse em direito, Lutero foi para o convento com 22 anos. Muito dedicado e rigoroso observador das regras, seis anos mais tarde já se tornara doutor em teologia e começa a preparar sermões. É quando ele escreve: "No transcorrer desses estudos, o papado soltou-se de mim." Lutero não interpretava aleatoriamente a Palavra, como era costume na época.

“O justo viverá da fé.” (Rom 1.17)

Estudando a Carta de Paulo aos Romanos, Lutero pode entender que o Deus que ele tanto temia (como aprendera pelos ensinamentos da igreja) não era o Deus revelado por Cristo. Martinho se converte, então, ao Deus vivo. Ele agora compreende que as indulgências eram uma falácia e que não haveria penitências nem obras que livraria o homem de seus pecados. Ele escreve: "Então eu compreendi que a justiça de Deus era aquela pela qual, pela graça e pura misericórdia, Deus nos justifica através da fé. Então me achei recém-nascido e no paraíso. Antes, essas palavras, 'justiça de Deus', eram-me detestáveis; agora as recebo com o mais intenso amor." Também deixou aquilo que foi chamado como “o pior erro gramatical do mundo”, isto é, a ideia medieval de que o homem faz-se justo.


As 95 teses de Lutero

No dia 31 de Outubro de 1517, Martinho Lutero afixou na porta da Igreja do Castelo, em Wittenberg, as 95 teses contrárias às práticas da igreja, todas relacionadas com a venda de indulgências, mas pregava o arrependimento dos pecados em Jesus Cristo. Lutero não intencionava atacar a igreja, mas queria defender o papa contra os vendedores de indulgências. No entanto, um mês depois as teses já tinham sido traduzidas em três línguas, fazendo estremecer os alicerces do velho edifício em Roma.

Algumas teses:

1) Pregam doutrina humana aqueles que dizem, tão logo tilintar a  moeda lançada na caixa, a alma sairá  voando do purgatório.

2) Qualquer cristão verdadeiramente arrependido tem direito à remissão plena de pena e culpa, mesmo sem carta de indulgência.

3) Admoestem-se os cristãos que procuram seguir seu cabeça, Cristo, através de penas, da morte e do inferno.

Queima da bula papal, 1520

Por causa de seus escritos, Lutero recebeu uma bula de excomunhão da igreja, a qual classificou de “bula execrável do anticristo”. No dia 10 de dezembro queimou a bula em reunião pública na porta de Wittenberg.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O PÚLPITO PENTECOSTAL (2)

Se por um lado há falta de preparo por parte de muitos pregadores sobre os púlpitos (leia aqui ), de outro há uma tendência em achar que ...