quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

Pop está repleto de referências a drogas





"Um levantamento feito por pediatras americanos constatou que a música popular dos Estados Unidos está inundada de letras que fazem referências ao consumo de drogas, álcool e tabaco. De acordo com uma equipe de pediatras da faculdade de medicina da Universidade de Pittsburgh, das 279 canções mais populares no país (as mais tocadas e vendidas, segundo a parada da Billboard) em 2005, 93 – ou um terço – falavam explicitamente do tema. Outras 117 – 42% – tocavam no assunto de alguma forma.
Que a música pop mundial está repleta de referências ao consumo de entorpecentes não é exatamente uma novidade. O que ninguém tinha feito antes era colocá-las no papel. Os doutores descobriram que não só 93 músicas falavam sobre o tema, como dois terços das vezes em que as drogas eram citadas, apareciam como algo positivo, associado a sexo, festas e humor.
Supondo que um adolescente americano, com entre 15 e 18 anos de idade, ouve por volta de duas horas e vinte minutos de música por dia, os médicos calcularam que os jovens escutam 84 citações diárias de uso de drogas. Por ano, são mais de 30.000.
Rap e country – A distribuição das referências ao abuso de substâncias não é igual entre os diferentes gêneros musicais. Nas cações de rap, 77% faziam algum tipo de comentário relacionado a drogas. Em segundo, vieram os cantores de country – 36% de suas músicas citavam entorpecentes, bebida ou cigarro. Canções classificadas como R&B (com 20% de músicas falando de drogas), rock (14%) e pop (9%) completavam a lista."

Fonte: veja online


Talvez esse seja um dos motivos para que adolescentes e jovens educados em um bom ambiente e com uma família equilibrada sejam tragados pelo mundo do vício. A PALAVRA diz que o nosso inimigo, o Diabo, prepra ciladas ," Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo." Ef 6.11.
Os que constataram tais citações e a apologia ao uso de dogras pensam assim : "Sem sugerir qualquer tipo de proibição a estas letras, os pesquisadores reconhecem que o uso destas substâncias permeia a cultura popular há décadas. "Não é desejável censurar estas mensagens", afirmou o líder dos médicos, Brian Primack, à agência de notícias Reuters. "Provavelmente, a forma mais interessante de tratar da questão seja ensinar as crianças a analisar as mensagens por si próprias", concluiu."

Mas a Bíblia já nos afirma que o mundo jaz no maligno, então resta-nos, uma vez mais, ficarmos com a orientção Bíblica de ensinar, a criança no caminho que deve seguir, e ensinar não é apenas apontar mas, acompanhar, corrigir, orientar e usar a autoridade conferida por Deus a pais e líderes, crianças e até adolescentes nem sempre conseguem avaliar os prejuízos que lhes podem ocorrer em decorrência de uma vida entregue ao vício e à promiscuidade pregada pelo mundo.
Mas pais zelosos e uma Igreja atenciosa, com certeza são um instrumentos de Deus para livrá-los de todo mal que tenta tragá-los.


"A vara e a repreensão dão sabedoria, mas a criança entregue a si mesma, envergonha a sua mãe." Pv 22.15

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O PÚLPITO PENTECOSTAL (2)

Se por um lado há falta de preparo por parte de muitos pregadores sobre os púlpitos (leia aqui ), de outro há uma tendência em achar que ...