terça-feira, 25 de junho de 2013

"CURA GAY" E O DIREITO DE FAZER O QUE DESEJA FAZER

Em 18/06, foi aprovado na Comissão de Direitos Humanos, presidida pelo Pr. Marco Feliciano, o Projeto de Lei denominado "Cura Gay".
No entanto, é bom entender do que se trata. Muitos já sabem, mas nunca é demais tentar esclarecer um ponto que para outros ainda é obscuro.
O projeto visa retirar de uma Resolução do Conselho Federal de Psicologia dois artigos que proíbem os psicólogos tratarem homossexuais que desejarem abandonar o homossexualismo e, pra isso, procurarem ajuda profissional.

Ora, a Resolução do Conselho é totalmente incongruente! Veja: um indivíduo, algum dia na vida, fez a opção por ser homossexual; até aí tudo bem, ninguém interviu na liberdade dele. Passado algum tempo, o mesmo indivíduo decide abandonar o comportamento e ser heterossexual; opa, aí o Conselho vem e proíbe psicólogos tratarem de pessoas que desejam ajuda para retomar a heterossexualidade.

A militância gay e o Conselho acham que ser heterossexual não é definitivo, "hetero" pode ser "homo", mas ao contrário não pode. 

Liberdade para transitar do mundo heterossexual para o homossexual, se quiser voltar não pode, não com ajuda de um psicólogo. Querem entregar o conceito de sexualidade e o que o indivíduo pode fazer dela à minoria gay; é um absurdo.

Cristãos devem ser a favor do projeto, tanto por sua legalidade como pela prescrição bíblica acerca da sexualidade, tendo como coisa abominável o homossexualismo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O PÚLPITO PENTECOSTAL (2)

Se por um lado há falta de preparo por parte de muitos pregadores sobre os púlpitos (leia aqui ), de outro há uma tendência em achar que ...