sexta-feira, 5 de junho de 2009

EM MEIO À TEMPESTADE ELE DIZ: SOSSEGAI

Não é raro ouvirmos no meio cristão que pessoas estão passando pela tempestade, associar o mar bravio às nossas dificuldades da vida é coisa comum em nosso meio, podemos pensar que estamos no mar, que suas ondas às vezes querem nos fazer naufragar, assim como aconteceu com os discípulos no relato de Mateus 8.23-27. Tempestades são comuns para quem navega, um dia ou outro elas alcançam os que estão no mar, e, se entendemos mar (tipologicamente) como o trancurso da vida é fato que teremos que passar por tempestades e provavelmente não uma única vez. Mas cristãos passando por tempestades? Bom, não é isso que muitos proclamam por aí, oferecem uma fé e um Deus que soluciona todos os problemas presentes e acabou, nada mais de apertos. Será que realmente é assim?Vejamos o exemplo registrado por Mateus:
No versículo 23 de Mateus 8 o texto diz: "e entrando Ele (Jesus) no barco, seus discípulos O seguiam"; os discípulos seguiam Jesus, estavam fazendo exatamente o que devemos fazer, e Jesus os fez entrar em um barco, até aí nada demais. Mas no versículo seguinte o texto diz que uma grande tempestade se levantou e dava contra o barco, grande a ponto de causar pavor em homens acostumados a lidar com o mar; mas, tempestade com Jesus no barco?Onde estava Jesus? Mateus diz que ele estava dormindo; o barco quase se desfazendo com ondas bravias e Jesus dormindo, até parece impossível alguém dormir em meio à tempestade; a questão é que para Ele não há tempestade, não há mar revolto, não há tisunami, não há problemas para aquele que tudo fez, que estava presente na criação de todas as coisas e que tem todo o poder no céu e na terra.O problema do medo em meio à tempestade é para pessoas limitadas como nós, para quem falta fé, para quem necessita mais confiar no Senhor independente das circunstâncias.Quantas vezes não nos vemos como os discípulos, em meio a ondas que parecem que nos vão fazer naufragar e simplesmente o Mestre parece estar dormindo, não nos responde, parece estar distante. Mas não é verdade,Ele está bem próximo, está no barco, se estamos seguindo-o e nos sobreveio tempestade tudo está sob Seu controle, ainda que não pareça. Como nos desesperamos diante das dificuldades! Como nos falta fé ante os imprevistos da vida! Na hora certa Ele se levanta, se mostra soberano sobre as circunstâncias que nos assustam e tão somente diz para que tudo se acalme, pois não é Sua vontade que pereçamos, antes, que vivamos nEle e para Ele. Ainda que vejamos tudo em meio ao caos, se entramos no barco por causa dEle podemos descansar pois Ele vai fazer a tempestade se calar.Tais águas não podem a nau tragar, que leva o Senhor Rei do céu e mar, todos ouvem o Seu mandar: sossegai, sossegai.

Cante:
Oh, Mestre, o mar se revolta,
As ondas nos dão pavor!
Os céus se reveste de trevas,
Não temos um Salvador!
Não se te dá que morramos,
Podes assim dormir,
Se a cada momento nos vemos,
Sim, preste a submergir!
Refrão:
As ondas atendem ao meu mandar
Sossegai! Sossegai!S
Seja o encapelado mar,
A ira dos homens, o gênio do Mal,
Tais águas não podem a nau tragar,
Que leva o Senhor,
o Rei do Céu e Mar!
Pois todos ouvem o seu mandar,
Sossegai! Sossegai!
Convosco estou para vos salvar,
Sossegai! Sossegai!
Mestre, na minha tristeza
Estou quase a sucumbir:
A dor que perturba minha alma,
Oh! Peço-te, vem banir!
De ondas do mal que me encobrem,
Quem me fará sair?
Pereço, sem ti, oh! meu Mestre!
Vem logo, vem me acudir!
Mestre! Chegou a bonança!
Em paz eis o Céu e o Mar,
O meu coração goza a calma,
Que não poderá findar
Fica comigo, meu Mestre,
Dono da terra e Céu,
E assim chegarei bem seguro,
Ao porto, destino meu!!
Ouça aqui o áudio da canção.
* O vídeo e a letra é de uma canção composta não para vender, ganhar discos de platina, ouro e outras premiações, foi composta apenas apra adorar a Deus, para comunicar uma mensagem divina, por isso ma atrai.

4 comentários:

  1. Graça e paz, irmão João Paulo !

    Pode o mar se levantar e tudo acontecer, mas quando o Senhor esta no barco ele não afunda!

    Adicionei seu blog na minha lista de favoritos também! Continue usando o seu blog para edificação de vidas!

    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Acho que é complicado falar de tempestades e de dificuldades na nossa vida, mas admiro bastante quem é capaz de permanecer seguro quando isso acontece. Daí para simplesmente não agir, acho um pulo grande demais. Talvez devamos realmente nos acalmar, pensar da forma correta e tomar as decisões que devemos, mas não creio que tudo se resolverá em um passe de mágica. Precisamos fazer-nos merecer de uma solução para os nossos próprios problemas.

    Do mais, gostei do seu blog, discute com propriedade sobre vários assuntos atuais e ainda traz uma visão mais moderna e mais próxima da Igreja cristã, que muitas vezes é vista comop atrasada e superficial.

    Abraço

    ResponderExcluir
  3. Olá meu irmão Marcelo, paz do Senhor!

    Realmente confiamos no Senhor e Ele nos guardará de naugragarmos, principalmente na nossa fé. Confiemos nEle.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  4. Caro Caio Coletti,

    Com certeza falar de situações difíceis em nossa vida não é coisa fácil, principalmente quando pessoas alheias ao problema desejam ajudar. Mas em Cristo podemos descansar, permanecendo nEle certamente não iremos perecer.

    Você tocou em um ponto importante: a nossa ação em meio às dificuldades. Nenhuma pessoa deve permanecer inerte diante de um problema, deve-se empenhar todos os esforços humanos legítimos no intuiuto de sanar o problema, mas o fato é que a passagem em apreço refere-se a algo que está longe da possibilidade humana de resolver, quando só Deus pode agir em nosso favor e nossos esforços são vãos, quando isso acontece o que podemos e devemos fazer é clamar a Ele de todo coração, com todas as nossas forças e Ele, no tempo certo, virá em nosso favor.

    Seu comentário foi muito apropriado, obrigado pela participação.

    Abraço.

    ResponderExcluir

O PÚLPITO PENTECOSTAL (2)

Se por um lado há falta de preparo por parte de muitos pregadores sobre os púlpitos (leia aqui ), de outro há uma tendência em achar que ...